Coisas irritantes

Of course que é impossível falar em coisas irritantes sem fazer uma prévia homenagem àquela que foi pioneira ao abrir as portas e os ouvidos para os irritadinhos de plantão, a Fernanda Young.

Como se fosse uma terapia, vou abrir meu coração (tem coisa mais irritante do que quem abre o coração?) e citar algumas coisas que realmente me deixam p. da vida, mesmo sem uma explicação lógica.

Nem vou falar do basicão, tipo trânsito, fila, gente burra, ir no Correio e essas coisas que irritam qualquer pessoa que tenha um pingo de sangue nas veias.

No meu grave caso, tem coisas bem menores que me tiram do sério. Ó só.

– Uma pequena pergunta arrasa meu humor. Nem sei se é pergunta, exclamação, interjeição, ou coisas do gênero (faz uns 15 anos que eu não estudo Língua Portuguesa). É o tenebroso, odiado, insuportável OI? Entenderam? Eu dou exemplo. Você conta a vida, conta um caso imenso, e no fim de horas de narrativa o cabra vira pra sua cara e solta um Oi? Assim mesmo, com ponto de interrogação no final. Jesuis, passa minha passiflora plis.

Pedir informação. Esse é meu lado masculino dominante e só agora estou percebendo que é, em geral, porque eu digo o nome da rua, o nome da avenida que a rua é travessa, o nome da igreja que fica na esquina, e o frentista – só pergunto para frentista, para transeuntes nem morta – vira com aquela cara de superioridade e fala: OI? Ai não, mil vezes não. Prefiro me perder. Da última vez ainda dei um fora. Falei pro frentista: moço, quero ir pra São Paulo (eu jurava que estava em Mauá; coisas da minha profissão glamourosa…). O fulano me olha e me diz com uma risadinha no canto da boca: a senhora está em São Paulo (tudo bem que eu estava no extremo mega leste da cidade, e o besta nem se deu ao luxo de falar direito comigo, buaaaaaa). Sou uma lady, não posso passar por isso. Ainda mais depois do Google Earth. 

Carro engatado. Algum mecânico ou entendido poderia me explicar pra que deixar o carro engatado em uma rua/vaga plana? Numa subida ou descida, eu até entendo (mentira, odeio do mesmo jeito), porque o carro pode descer (mas o freio de mão não basta?). Na academia, o manobrero insiste em deixar o carro engatado. E eu insisto em ligar o carro sem checar se está em ponto morto. Não há serotonina que suporte isso.

Perder horas lendo cardápio. Tudo bem que eu tenho preguiça de ler cardápio, mas ficar horas a fio estudando e lendo e relendo e comparando e pensando, ai, me estresso. Aí, em caso de pizza, já falo logo o que não gosto e o povo escolhe por exclusão. Ou então, vou logo pedindo a primeira coisa que bati o olho no cardápio. Ou ainda pergunto pro garçom e ele explica, que é mais prático do que fazer auditoria no cardápio alheio.

– A palavra clichê. Essa palavra me irrita, nem é por causa do significado, é a palavra mesmo.

– O Alê quando eu estou na TPM. É o Alê como um todo, incluindo cabeça, tronco, membros, pensamentos e palavras. Ah, e perguntas. Pensando bem as perguntas mais que irritam. Geram em mim um desejo louco de esganar alguém.

De resto, sou super normal. Só tenho medo de umbigo e nada mais.   Oi?

Anúncios

8 comentários sobre “Coisas irritantes

  1. Andréa Rocha

    Oi Jane,
    Adorei esse post! Eu também tenho mil coisas assim que me irritam, mas o numero 1 é ter alguem que caminha pela calçada fumando na minha frente (e infelizmente anda mais rapido que eu). Nao aguento respirar fumaça de cigarro. É triste! Ja a minha mae tem medo de umbigo hahahaah

  2. Tanta coisa me irrita! Uma, que preciso deixar de lado, urgente, é ter “neura” em ler portuguès errado. Como vc disse que “há anos” não estuda, lembrei-me disso. Mas você escreve super-bem, com clareza, boa pontuação, está ótima! E disserta deliciosamente. Tenho “descoberto” uma turma boa demais nos blogs, escrevendo que é uma beleza, fazendo a gente rir e pensar. Parabéns!

  3. oi??

    kkkkkk

    namorei um carinha muquirana eu diria, que pegava um cardapio além de perder horas escolhendo algo ele ainda compara os preços ai ninguém merece!!
    Pioooooooooor de tudo é que ele passa hoooora e no final ele dizia:
    o de sempre por favor…

    era demais pra minha pessoa.

  4. Janeeeeee meu filho de 5 anos faz isso comigo
    affff
    eu falo (blablabla) ai ele me olha com aquela carinha de sem vergonhe e solta
    _OI????
    AFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF
    aja paciencia kkkkkkkkkkkk

  5. Milene

    ODEIO esses “oi????” meoo isso me tira do sério tbm.. e o pior é que meu chefe faz isso comigo todo dia.. ngm merece mesmo… haja paciencia 😦

    beijoo

  6. em Junho 30, 2008 às 1:19 am

    ta explicado a falta dos “s” no meu comentário kkkkk desculpa.
    nós terminamos sim!!! homem lerdo ja é um problema, imagina muquirana e que sempre pede o de sempre kkkk eu não aguentei.

  7. Pingback: O trabalho dignifica o homem « Mulheres (Im) Possíveis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s