Casadas, mas sozinhas

Há algum tempo atendi por seis meses um grupo de dez mulheres que se reuniam por uma questão específica: a solidão. As idades variavam de 35 a 55 anos. Oito eram casadas, uma separada e uma viúva. Apesar de expressarem o desejo de um companheiro estável, ficou evidente como as vidas das que viviam sozinhas eram mais interessantes e cheias de possibilidades em comparação às casadas. Estas se mostravam desesperançadas, sentiam-se impotentes para tentar qualquer transformação que pudesse lhes proporcionar algum prazer no plano afetivo e sexual. A monotonia do dia-a-dia, a falta de diálogo com o marido e a ausência de uma vida sexual satisfatória eram a tônica de suas queixas. Relato aqui a história de uma delas por ser, nos aspectos principais, semelhante às outras. Joyce estava casada há 27 anos. Após o casamento das duas filhas, passou a morar sozinha com o marido. Foi nessa época que um sentimento profundo de solidão se apoderou dela. Gostava de sair, ir ao teatro, conhecer pessoas, mas seu marido recusava qualquer sugestão sua. Não conversavam nunca. Ele chegava cedo do trabalho e trancava-se no escritório. Dirigia-se a ela exclusivamente para saber se precisava de dinheiro para algum pagamento doméstico. Faziam sexo mecânico muito raramente, sem nenhum carinho. Ele não a tratava mal nem bem. Era indiferente. Quando casou com ele, aos 18 anos, Joyce não imaginava que sua vida seria assim. Sempre ouviu seus pais dizerem que se não se casasse teria uma vida de solidão. Somente a partir da década de 1940 passamos a associar casamento a amor. A entrada do amor romântico fez da instituição o meio para as pessoas realizarem suas necessidades afetivas, sendo a sociedade ocidental a única a assumir o risco de ver esse tipo de união ser estabelecido sobre o amor de um casal. Imagina-se que assim se alcançará uma complementação total, que as duas pessoas se transformarão em uma só, que nada mais irá lhes faltar. E, para isso, fica implícito que cada um espera ter todas as suas necessidades pessoais satisfeitas pelo outro. Em pouco tempo essas expectativas se mostram incompatíveis com a realidade, e as frustrações se acumulam. Não podia ser de outra forma. O amor é uma emoção e o casamento é um compromisso, uma instituição com leis, regras e normas. Na busca de segurança afetiva, qualquer preço é pago para evitar tensões decorrentes de uma vida autônoma. Por medo da solidão as pessoas suportam o insuportável para manter a estabilidade do vínculo, e não raro se tornam dois estranhos no mesmo espaço físico. Como mecanismo de defesa, surge a tendência de não se pensar na própria vida. Tenta-se acreditar que casamento é assim mesmo. Aí é que reside o perigo. Se a pessoa não tomar coragem e sair fora, vai viver exatamente o mesmo que um sapo desatento. Uma fábula conta que se um sapo estiver em uma panela de água fria e a temperatura da água se elevar lenta e suavemente, ele nunca saltará. Será cozido. Mas, afinal, por que se teme tanto a solidão? O historiador inglês Theodore Zeldin afirma que o medo da solidão assemelha-se a uma bola e uma corrente que, atados a um pé, restringem a ambição, são um obstáculo à vida plena, tal e qual a perseguição, a discriminação e a pobreza. Se a corrente não for quebrada, para muitos a liberdade continuará um pesadelo. Segundo ele, a crença mais gasta, pronta para a lixeira, é que os casais não têm em quem confiar salvo neles próprios, o que é tão infundado quanto a idéia de que a sociedade condena os indivíduos à solidão. Na realidade, existe tanta solidão entre os casados quanto entre os solteiros. Não há dúvida de que o medo da solidão é responsável por muitas opções equivocadas de vida. Fazemos qualquer coisa para nos sentir aconchegados e protegidos por meio da relação com outra pessoa, tentando nos convencer de que assim não seremos mais sozinhos. A idéia, tão valorizada e difundida pelo amor romântico, de que devemos buscar um parceiro que nos complete, só contribui para que não enxerguemos o óbvio: a solidão é uma das nossas características existenciais. O terapeuta e escritor Roberto Freire não tem dúvida de que risco é sinônimo de liberdade e que o máximo de segurança é a escravidão. Ele acredita que a saída é vivermos o presente por meio das coisas que nos dão prazer. A questão, diz ele, é que temos medo, os riscos são grandes e nossa incompetência para a aventura nos paralisa. Entre o risco no prazer e a certeza no sofrer, acabamos sendo socialmente empurrados para a última opção.

Regina Navarro Lins, psicanalista e sexóloga, é autora de O Livro de Ouro do Sexo (Ediouro). E-mail para a coluna: rlnl@uol.com.br. Site: http://www.camanarede.com.br

Comentários da minha pessoa: Li esse texto no domingo pela manhã no jornal local. As vezes jornal local pode ser surpreendente, mesmo em ano de eleição municipal.

94 comentários sobre “Casadas, mas sozinhas

  1. Ale Fiorini

    Danny,
    Eu estava pensando nisso recentemente… conheço vááários casais jovens, com filhos, casados há uns 10 anos, e só poucos realmente são companheiros, amigos, amantes… a maioria das mulheres reclamam do marido (aliás, reclamar do marido é a regra), da vida, dos filhos… (pôxa, eu sou casada há quase 15 anos e acho realmente que tirei a sorte grande. Espero que continue assim) e os maridos devem ser daqueles que dão a sua puladinha de cerca (mesmo que virtual), acham a mulher uma mocréia, etc… Este “medo da solidão” vemos em todos os tipos de casais, desde os novos até os que já estão na bodas de prata, ouro… a psicóloga fala em medo de solidão, mas eu acho mais que é acomodação: parece que depois de tanto tempo já era, acomoda, não vale mais a pena lutar pela felicidade… a mulher tem medo de ficar sem dinheiro, de os filhos ficarem sem o pai, e o marido tem medo de ficar sem a casa arrumada.
    bjs
    Ale.

    1. Maria Oliveira

      Boa noite, estava lendo o que vc escreveu e discordo de sua opinião, pois a mulher não é apenas dinheiro e os filhos são dadivas, e o marido não quer uma empregada, a diferença é que antigamente as mulheres se casavam por dos pais, e hj as mulheres estão tão liberais qto aos homens, daí fica dificil uma relaçao de cumplicidade e respeito.

      Sou casada há 29 anos, sempre amei meu marido, embora todo casal tenha suas divergências…… mas eu sempre o perdõei, e por essa razão acho que veio do desrespeito…….ele sabe que perdoaria…..so que agua mole pedra dura…..bate, bate até que fura……..e ai???????

      Eu sinto falta de mim, do amor que tinha para dar, tudo paira é solidão a dois que fica.

      E as noite eu me pergunto…….vale a pena???? passa mais um dia, uma semana e um mês a assim minha vida vai passando.

      Qtas noites me vejo acompanhada e só, vc não imagina o qto a gente sofre a dor do silencio.

      Marisol

      1. tatiane

        Puxa Maria, é isso que to passando, to cansada de dar chances..nao que meu marido me taria ou nao preste mas é devagar etm que mandar falar, repetir nao gosto mais dele mas qdo pedi para separar veio as chantagens choros com meus filhos …etc…nao gosto mais dele nem do beijo, abraço nem de ficar perto desgaste to casada a mais de 10 anos e ja faz uns 3 que ta assim falo que nao gosto dele e ele ainda pede bj ta com saudade…ele fez chantagem com as crianças e e sinico como uma pessoa casada a mais de 10 anos nao sabe do queprecisa ser feito…vc nao me conhece mas sou exlplicita nos meus sentimentos…nao sei o que faóc…..to super triste…qq coisa me escrva cataucha@gmail.com abs e aguardo e vc como ta isso foi em 2009? bjus outra tiste e angustiada!!!

  2. Mariana

    Oi Danny

    Gostei muito da matéria.
    Acho que não é só com os homens que acontece isso não, as vezes as mulheres tbem ficam indiferentes com seu maridos e falam mal deles para as amigas, exaltando os defeitos e raramente as qualidades. Acho isso horrivel.

    Vi o comentário da Alê aqui em cima, vc não fazia parte da Favelada toda? Não vai escrever mais não? snif, snif

    bjs

  3. flavia

    Nossa, milagrosamente, li tudinho!!!! Não tenho muita paciência para textos longos na net, mas esse foi especial… Sou casada há 10 anos e não me sinto solitária, mas percebo que os homens não ligam muito para esse carinho que a gente tanto almeja…

  4. E eu aqui procurando no teu perfil onde estava a “profissoa terapeuta, psicologa” ou algo parecido. Né por nada nao mana, mas quando a gente pode economizar com essas terapias ahhahahahahaah

  5. doni

    danny vivo esse drama tenho muito amor mas nao tenho em troca a solidão e dura pra mim . se quizer manter contato meu msn e esseai bjs

  6. Vanilda

    É TEM GENTE Q SE SATISFAZ COM POUCO, NÃO COBRA, NÃO CONVERSA E AINDA CULPA OS OUTROS PELOS SEUS FRACASSOS, ISSO É GOSTAR DE SER FANTASMA. ESTOU SENDO MACHISTA? TALVEZ, MAS EU TENHO 27 ANOS DE CASADA, A MAIOR PARTE DO TEMPO SÓ, MAIS NUNCA SENTI SOLIDÃO, A CADA VOLTA ERA COMO SE FOSSE UM RECOMEÇO E ATÉ HOJE É ASSIM. AMO A MINHA VIDA. COM EXCEÇÃO DA DISTÂNCIA DA MINHA FILHA MAIS VELHA, MEU GENRO E MEUS NETOS.

  7. marcia

    gostaria de conhecer mulheres como eu q estou casada mas sozinha para praticarmos atividades juntas ou conhecer lugares nao a procura de homens mas sim mulheres como eu q se sentem so e nao tenho compania para sair dar risadas pois todas as pessoas q conheço são como eu mas nao tem coragem de sair para se divertir sem seus respectivos parceiros eu me sinto muito sozinha mas nao quero um amante ou namorado quero conhecer mulheres que como eu estão sozinhas para fazer amizades e se divertir em bares cinemas teatros

    1. regina celia souza silva

      adorei seu comentario tenho uma vida parecida com sua
      penso da mesma forma, de todos os comentarios o seu é bem legal, chamo Regina moro em são paulo sou casada a 25 anos tenho uma filha de 18 anos e sinto que estou precisando respirar tenho 49 anos sou funcionária publica aposentada me aposentei o ano passado ea vida para min está só começando mas meu marido não pensa assim apezar de ser um otimo marido só pensa em ficar em casa não gosta de nada

    2. marcia

      Oiee Marcia,, li seu comentario num blog,, sobre como ser casadae viver so,,passo a mesma situaçao, se quiser uma amiga para sair conversar,, cinema , teatro,, e so me add.
      nao sei onde tu mora, mas moro no RJ.

      smstan@hotmail.com

      Marcia

    3. sabrina

      achei que isso só estava acontecendo comigo,me sinto sozinha sem amigas,em casa não tenho meu marido para conversar,pois quando deito na cama e quero conversar dar carinho e pedir carinho ,ele vem logo com O …… querendo,depois que fazemos o maximo que ele faz e esticar o braço e pedir para eu deitar…mas em pouco tempo ele vira para o canto e dorme… não saimos pois sempre reclama que esta sem dinheiro,cansado…não sou de balada,minha vontade é de ir fazer compra com ele,ir ao cinema ou até mesmo alugar um filme e assistir em casa.

      1. sabrina

        PS: mesmo assim o amo e sinto que ele me ama tambem… espero muito …para ver se ele muda pois estamos casados apenas 3 anos… mas vejo que está sendo impossivel.😥

      2. jonsanti

        Eu achou importante viver a sua vida tb. como vc nao tem uma vida com ele. Faz algo. Estou solteiro mais eu como e importante amar uma mulher como decisao e nao emocao. Desculpa se meu portuguese nao e muito bom pois sou Americano. A emocao vem vai acontecer.. Nunca me deu repio antes de alguem cantar.. Eu tomei a decisao de ir ao show, compra o ingresso, e quando comeco aminha musica me deu repio.. Decisao traz emocao.. decidir a amar… um abraco

        estou solteiro tenho 33 anos e se tiver alguem sozinho eu posso ser um novo amigo:) me manda um email.. eumando78@hotmail.com

  8. Airamana

    Passei 24 anos casada, sempre fiel e dedicada. Anulei minha vida pela familia e em troca recebi o abandono. A seis anos estou separada, me divorciei em dezembro de 2007. Por 24 anos tive a solidão como companheira mesmo estando em familia. Hoje, estou sozinha mas vivo uma realidade, sozinha por opção, receio de ser machucada outra vez. Ainda lembro das noites solitárias ao lado do meu ex marido dizendo que eu deveria esperar ele me procurar…sempre fui deixada de lado, sempre estive em último plano na vida dele. Hoje, tenho o silêncio como companheiro, um dia isso vai mudar…

    1. flavia augusta

      Ola ,me sinto como voce ,mas ainda to casada tenho 37 anos e sei que o meu futuro e esse .Ando triste e tentando reunir forças e esperança para mudar isso ,nao em salvar oque nao tem como mas uma maneira de nao sair tao acabada porque acho que se eu nao fizer algo agora eu temo que sera pior doque eu mesma possa imaginar .Pois casei muito jovem e deixei tudo em nome dessa instituiçao que chamamos de casamento , e agora por onde recomeçar de onde partir ,como eu recomeço as pessoas que conheço nao me entendem acham que eu to viajando enfim e so quem passou por isso sabe doque eu to sintindo me ajude anao sofrer tanto as consequencias disso tudo porque acho que pressentimos as coisas .E eu pressinto que ele ta me deixando de lado aos poucos nao que eu me importe tanto com mas infelizmente tudo em mim e provido dele ,como deixei a minha vida na mao de outra pessoa assim ,pois aunica culpada sou eu .Por hoje e so foi bom escrever pra alguem que vai me entender se chegar a ler eu acredito que sim beijos Flavia

      1. Cilene

        Oi flavia, eu tbem estou vivendo desta forma,me sinto fraca parece q ele suga as minhas forças por depender dele, ele acha q me da atenção e o carinho q preciso mas eu sei q se eu espor meus sentimentos vou sempre estar errada,não aguento mais preciso de ajuda amo meu marido mas quando eu preciso de de alguem para conversar me vejo sozinha, fui casada 14 anos este émeu segundo casamento estamos juntos a 3 anos tenho um bebe de 2, achei q tivesse achado meu princepe encantado mas vejo as coisas aconrecendo tudo novamente, me ajudem meu email é cilenejorge@hotmail.com bjkssss a todas e fiquem com Deus.

  9. aleksander

    sou casado com uma mulher viuva , perdeu seu 1* marido na praia ,morreu afogado na lua de meu. tenho um filho lindo com ela , sou casado a 6 anos a criança tem 4 , so que ja apelidei o defunto de santo e deve ser canonisado pelo que as pessoas falam , so que competir com isso e praticamente impossivel , ja estou sem sexo a 6 meses , resolvi arrumar uma saida pra isso procurando vadias na surdina , nao largo dela por que ainda gosto dela e por causa do meu filho , nao sei se estou certo queria comentarios sobre essa cituaçao , nao preciso mentir , e tudo veridico , sou desquitado e tenho uma filha de 18 anos que nao tem muito contato comigo , nao quero repetir a cituaçao

  10. Carol

    por muito tempo meu marido e eu estivemos longe um do outro e amobs desejávamos estar juntos
    Há um ano juntos, me sinto tão sozinha quanto antes…

  11. jorge

    lí vários comentários e o texto, e percebí o que sempre se diz seja na internet ou programas de auditório, as mulheres gostam de receber carinho e por isso o exige dos maridos, mas dificilmente se encontra uma que pensa em dar carinho para poder recebê-lo.

  12. Zizi

    Estou passando por isso, não aguento mais essa situação de solidão a dois, estou sufocada. Chorei quando li o texto…

    1. flavia augusta

      tenha esperança ,e isso que eu pretendo me lembrar a cada minuto ,nos vamos sair dessa situaçao temos que confiar em nos de alguma maneira nao e ….

  13. TinaBorges

    Ao ler o texto me vi nessa situação,quando estou em casa com ele ainda me sinto mais só.Sou casada á trinta anos e sempre senti isto,ele trabalha fora e vem de quinze em quinze dias,talvez por isso, me deixei arrastar tantos anos,hoje me dou conta que vivi com uma pessoa de idade…precoce…nunca teve vontade para nada,e tem por mês sempre 15 dias de descanso,podia curtir a vida e deixar curtir, muito mas muito tinha que contar, nunca mais acabava a minha vida contada dava um grande livro…um drama muito triste,sou uma mulher muito triste,desiludida com o ser humano,foi um ser humano, que conheci,num continente tão lindo…Africa… tinha mais era que ser lindo…Que Deus ajude todas as mulheres que tanto sofrem…

  14. Mocinha bem longe

    Passei a maior parte da minha vida de solteira sozinha. Nem por isso me sentia solitaria. Fazia unha, dieta, ginastica… No dia-a-dia, nada de extraordinario acontecia, mas viajava nas ferias – era quando geralmente arrumava um namorico curto (longe da cidade pequena onde morava). Sonhava bastante, mas sempre trabalhando e acrescentando algo ao meu curriculo academico… Em todo lugar que trabalhei fui reconhecida por ser criativa, vibrante, articulada. Por vezes me via irritada, mas nunca infeliz. Casei por amor os 36 anos e isso me fez mudar do Brasil, deixar a profissao e a vida academica de lado (ate’ conseguir acertar os papeis, documentos, etc.)
    Em um ano, estava sozinha e ansiosa por nao conseguir me conectar de verdade com meu marido. Ele todo bom carater, verdade, mas de intimos passamos a “dividir despesas e responsabilidades”. Ele, cada vez mais voltado ao trabalho, parecia bem- quanto melhor e mais distante ele, mais deprimida e desequilibrada eu estava. Comecei a dizer a mim mesma “bem, primeiro ano de casamento e’ uma fase de ajustamento”. Nunca me ajustei. NAO QUEIRAM VOCES ACREDITAR QUE UMA MULHER SE ACOSTUMA. Paciencia e compreensao sao necessarias mas quando o relacionamento/casamento causa a sensacao de que a melhor parte de voce foi enterrada viva, alguma coisa esta errada. Ao final do segundo ano (hoje) estou voltando ao Brasil. Sem dinheiro, sem marido, sem emprego – feliz. Ser sozinha e’ muito diferente de sentir-se solitaria. A pessoa sozinha e’ independente, a solitaria depende de alguem que nao corresponde ao seu desejo de interacao/intimidade/comunicacao. Boa sorte a todas.

    1. Lu

      Oi Mocinha bem longe,…. queria conversar mais com vc, me sinto como vc com 31 anos e com um ano de casada, mas tem outros pontos que me decepcionaram nesse uma no de casamento, tb tinha minha vida ativa mas nao extraordinaria quando solteira, porem hj depois de um ano de casada vejo que sou sozinha com um cara p/ dividir as contas, me falta coragem e a certeza que nao irei me arrepender e mediante a tudo que li a tendencia é depois de 20 anos de casamento eu estar em depressao e arrependida de nao ter tentado ….

      Por favor tente entrarem contato comigo.

      Lu

  15. Mocinha bem longe

    PS: Sem falar que, quando solteira, mesmo nao fazendo todo o sexo que se gostaria, com a frequencia e intensidade que sonhamos, a gente ainda pode se dar ao luxo de dizer que prefere qualidade em vez de quantidade (opcao que tambem esta’ acessivel, em todo caso), e que entre fazer sexo ruim e nao fazer, nao fazendo a gente se preserva melhor de uma frustracao. Casada, muitas vezes a escolha e’ entre sexo ruim e sexo nenhum – MAS PORQUE SE ESTA’ CASADA, AS DUAS OPCOES NOS REMETEM A FRACASSO E BAIXA AUTO-ESTIMA. Dizer “nao” ao sexo nao traz conforto e paz de espirito, apenas faz pensar que sexo poderia estar sendo maravilhoso com outro alguem, em outro lugar. Que todo mundo transa mais legal que voce, o tempo esta passando e voce fechou as portas para a forma mais antiga (e ate’ ordinaria!) de prazer.

  16. casada e triste

    (Mosinha bem longe)
    Infelizmente vc está mas do que falando a pura é dolorosa VERDADE… Bem no meu caso, é exatamente todos esses horrores que eu estou ainda passando, só que não dou conta de largar(ele se diz muito perfeito, quando a coisa fica ‘feia’ ele sempre da um jeitinho)!!!!
    Parece que eu to num beco sem saída…..

  17. regina celia souza silva

    me sinto exatamente assim sozinha estou casada a 25 anos meu marido é uma pessoa muito boa mas eu sou vibrante, alegre gosto de passear rir conversar horas a fio e meu marido so gosta de dvd e internet quero conhecer mulheres para trocar experiencias novidades e tudo que vida tem de bom, não penso jamais em trair meu marido mas quero ter amigas que talvez estejão vivendo as mesmas insadisfações

  18. Alexandra

    Eu tenho 34 anos e ele tem 55 anos, estou casada a 8 anos com um médico pediatra maravilhoso mas que só pensa em trabalhar…vivo na verdadeira solidão…temos um filho de 4 anos… gostaria de me comunicar com mulheres na mesma situação…

  19. Sintia

    Ola,
    Eu tenho 26 anos, sou casada ha pouco tempo, menos de um ano, mas minha relacao com meu marido tem dois anos. Eu acho que me precipitei, apos o casamento as coisas comecam a mudar gradativamente, e chegou num ponto em que eu nao amo mais ele como amava antes. Raramente conversamos sobre coisas da vida, nao saimos, e a vida sexual esta se tornando fria. No fundo do meu coracao eu escuto uma voz falando para sair fora disso enquanto sou jovem. Mas, as vezes penso na decepcao, na vergonha de sair da relacao e voltar para casa dos meus pais. tenho medo de arrependimento tambem.
    Mas, se um relacionamento esta indo desse jeito, mal, cheio de brigas. Quanto tempo mais ira sustentar?
    Eu nao sei mais o que fazer! Estou confusa.
    Gostaria de opnioes.

    1. Nara Andressa

      Este texto parece está falando da minha vida, também sou casada a quase dois anos e como mudou meu relacionamento, até parece que sou casada há anos, larguei tudo pra viver com um homem que náo ta nem aí pra mim, tenho uma filha de 1 ano e 5m e estou grávida de novo, meu marido nem liga pra minha gravidez como não ligou pela primeira, mas resolvi ter outro mesmo assim, por medo de um dia minha filha se sentir só como eu. Tenho 28 anos e moro longe de toda minha família e não tenho amigas, vivo só pela minha filha e meu filhinho que tá por vir. Até hoje não acredito que em tão pouco tempo de casada já é assim imagina daqui uns 10 anos, o q vai ser mim?Estou disposta a arrumar amigas…um grande abraço.
      Nara

  20. claudia

    GOSTEI MUITO DA MATERIA TBM TENHO O MESMO PROBLEMA.
    GOSTARIA MUITO DE ENTRA EM CONTATO COM MULHERES Q TBM ESTÃO PASSANDO POR ISSO,QUEM QUISER ENTRE EM CONTATO.

  21. Norinha

    Pessoal – que louco isso .. como diz meu pai .. a mulhr nasceu para ser amada .. desejada .. concordo que os maridos também precisam do nosso carinho .. mas somos nós que mais batalhamos por isso … SOLIDÃO .. eita palavrinha forte .. estou entrando nos 24 anos de casada .. meu marido também é assim .. não poderia ser diferente .. estou me preparando para uma separação .. mas antes, chamei ele e disse que já fiz muito por ele e pelos filhos .. que agora, vou pensar em mim .. ele ficou assustado .. sinto que ele não quer uma separação … voltei a fazer as coisas que gosto, cinema, terapia grupal .. dança , voltei a sorrir .. meu coração ainda anda triste .. mas preciso me ajudar .. vou voltar a viajar sozinha .. quero fazer novas amizades .. portanto .. QUERO VOLTAR A SER FELIZ .. E A AMIZADE CONTA MUITO PRA ISSO .. VOCÊS NÃO ACHAM?? Se alguém daqui quiser essa amizade .. estou a disposição .. um abraço.

    Norinha

  22. Norinha

    QUEM TIVER UM TEMPINHO PARA LER … recebi a reportagem abaixo no meu e-mail … vale a pena dar uma olhada .. bjs

    Sexta, 25 de setembro de 2009, 08h14
    As mulheres ficaram mais infelizes
    Marcelo Carneiro da Cunha
    De Berlim

    Estimados milhares de leitores, e, em especial, leitoras. Durante um vôo a algum lugar que não sei ao certo qual, porque todos os vôos são iguais, ao menos para a minha cervical, li um artigo de um sujeito chamado Marcus Buckingham, ex-pesquisador do instituto Gallup, dizendo em alto e bom tom que as mulheres andam mais e mais infelizes, especialmente na comparação com os homens, que andam mais e mais felizes.

    Eu tenho a nítida impressão de que já sentíamos isso todos nós, que andamos pagando o pato por conta dessa infelicidade feminina, todos nós, eu, você, o senhor aqui ao lado, todos os patos hetero em geral, que grasnam por esse mundo à fora.

    E como pato curioso, fui meter o bico no assunto e descobri muitas, mas muitas mesmo, referências; entre elas o ensaio “The Paradox of Declining Female Happiness” dos pesquisadores Betsey Stevenson e Justin Wolfers, e um texto do colunista Ross Douthad, no New York Times, “Liberation and Unhappiness”. Parece que estamos diante de algo novo, perturbador, e doloroso, em especial para pobres patos condenados a gostar de mulheres, por menos que elas gostem da gente.

    E o mais curioso, lendo todos esses textos sobre o tema, é que nenhum deles aponta para uma causa ou uma solução. Existe a tal infelicidade, ela ataca as mulheres tanto dos Estados Unidos quanto da Europa (nenhum texto remetia para as brasileiras, mas vamos considerar que essa é uma infelicidade global, ao menos ocidental, já que ninguém consegue enxergar as muçulmanas pra saber o que elas pensam). Mas não se sabe ao certo o que a causa, e portanto, qual a cura.

    Sendo um pato completamente anti-misticismos, não vou enveredar por coisas como Vênus e Marte e deusas celtas pra entender o que torna as mulheres tão esquisitas. Pato científico, prefiro apoiar meus preconceitos na opinião de quem supostamente entende do assunto, e nessas patuscadas, encontrei a opinião de alguns psicanalistas que dizem que as mulheres são mais infantis do que os homens, e por isso sentem mais dificuldade no lidar com o fato de que seus desejos não vão ser sempre atendidos pelo mundo lá fora. Hummm.

    Ligando os pontinhos, fico pensando em pesquisas que mostram que os alemães da antiga Alemanha Oriental, libertados da opressão do regime comunista quando o Muro caiu, são MENOS felizes do que os alemães do lado ocidental, que não se libertaram de nada.

    Será que nossas queridas patinhas, assim como os ex-comunistas, se libertaram e não gostaram do que encontraram no vasto mundo do protagonismo, para o qual voaram sem se dar conta de que liberdade é legal, mas é também uma baita fria pra quem estava acostumado a ter o seu mundo organizado por uma CVC da vida?

    Será que nós homens, assim como os alemães ocidentais, já sabíamos, por estarmos no jogo há muito tempo, o que o mundo tinha pra dar, mas também pra cobrar da gente, e portanto não nos assustamos com a selva do capitalismo ou da igualdade pós-feminista?

    Não sei se vocês sabem, mas esse pato que vos escreve já anda migrando pra cima e pra baixo há muitos e muitos invernos, entre eles o longo e tenebroso inverno da ditadura nada branda que arrumaram pra gente. E lembro que, durante aqueles tempos, a nossa fantasia era a de que a tristeza iria embora na hora em que o general Figueiredo fosse junto. O Chico era quem garantia, dizendo que apesar de você amanhã há de ser outro dia. Pois esse pato aqui aguentou até o outro dia e deu de cara, sabem com o que? Com o Sarney. E posso garantir, mesmo com minha memória emplumada de pato que ninguém, mesmo a dona Marly, se sentiu muito feliz naqueles tempos.

    Portanto, se a ditadura não era a única causa da tristeza, o que seria? Se a liberdade sozinha não era a solução, o que seria?

    Como bom pato feminista, sempre tive o livro da Betty Friedan debaixo do meu travesseiro de penas, e lembro dela dizer que “as mulheres sofrem do problema que não tem nome”. Pois eu acho que o problema tem nome e ele se chama insatisfação com o que o mundo nos oferece, com a vida que temos ou criamos para nós, com o tempo que temos.

    A vida, estimados leitores, é algo muito complexo para se tocar com soluções simples. E é isso o que talvez diferencie nós patos de vocês, patinhas. A gente já chamuscou as penas por milênios enfrentando o que houvesse lá fora à espera, ficamos felizes por podermos estar aqui dentro assistindo o Barcelona dar um pau no outro time, qualquer que seja. O mundo aqui dentro é quentinho, e isso já resolve boa parte dos nossos problemas. Os vôos lá fora são necessários, vamos a eles curtindo a altitude e a paisagem, mas sabendo que é só bobear e pimba, algum pássaro mais raivoso nos transforma em foie gras. Assim, curtimos a liberdade pelo que ela nos oferece, apreciamos a calmaria pelo que ela nos traz, e ficamos assim, patos mais felizes, ou menos infelizes, quase que apenas porque sim. Além disso, somos patos contentes por termos mais grana, ou por sermos menos duros, uma vez que o mundo, até no Brasil, se tornou mais próspero nos últimos 40 anos (o que, curiosamente, não faz a menor diferença na infelicidade medida das mulheres).

    O mundo é objetivo, mas nossa relação com ele é bastante subjetiva. Acho que os homens tiveram tempo suficiente pra ajustar os instrumentos que nos guiam pela vida, e equilibrar expectativas com o que sabemos que podemos esperar antes do grande e definitivo vôo pra lugar algum, que nos espera, em algum momento aí adiante.

    Agora, é aguentar o tranco enquanto as mulheres chegam ao mesmo ponto da história e ao mesmo estágio de evolução sobre o mundo que nos torna mais felizes com o que temos, e menos infelizes com o que sabemos que vai nos acontecer.

    Existe ainda uma outra tese. A de que nós, homens, somos tão burros e insensíveis que nem ao menos nos damos conta da nossa insatisfação e infelicidade. As mulheres, seguindo essa linha de pensamento, são apenas mais conscientes. Óbvio que quem disse isso era mulher, estava bem perto de mim quanto falou, e eu seria um pato morto se discordasse. Concordei, ando concordando até hoje, enquanto olho ao redor e me preparo pra curtir mais uma fatia de pão da maravilhosa padaria Siebert, e pensando cá comigo, por que, mas por que mesmo eu deveria me sentir menos contente do que me sinto, mesmo que para tornar as mulheres menos infelizes com elas mesmo, ou comigo?

    Marcelo Carneiro da Cunha é escritor e jornalista. Escreveu o argumento do curta-metragem “O Branco”, premiado em Berlim e outros importantes festivais. Entre outros, publicou o livro de contos “Simples” e o romance “O Nosso Juiz”, pela editora Record. Acaba de escrever o romance “Depois do Sexo”, que foi publicado em junho pela Record. Dois longas-metragens estão sendo produzidos a partir de seus romances “Insônia” e “Antes que o Mundo Acabe”, publicados pela editora Projeto.

    Fale com Marcelo Carneiro da Cunha: marceloccunha@terra.com.br

    Terra Magazine

  23. Leno

    Gostaria de conhecer mulheres de Roraima ou Amazonas para amizade ou algo mais sério…tenho 29 anos, militar, universitário, gosto de sair, viajar, conhecer pessoas interessantes…conheço pessoas legais, mas estou a procura de alguém interessante….me mandem e-mail….bjo.

  24. Antonella

    Nossa, me identifiquei com algumas das historias aqui contadas…estou casada há 10 anos, tenho 37 anos e meu relacionamento está insustentável…Eu e meu marido brigamos constantemente…Ele passa a semana fora e qd no final de semana vem prá casa, prefere a companhia de outras pessoas (amigos), qd chega em casa é sempre bebado e tarde, aí já viu… Não rola nada, nem quero. Sinto falta de carinho, atenção, amor, compreensão…
    Estou me distanciando dele dia a dia, mas ainda não tive coragem de separar definitivamente…Por medo da solidão, de ficar só…não ter com quem contar, já que sou sozinha mesmo…
    Gostaria de me comunicar com homens quiser enviar e-mail p/ mim, prometo responder, gostaria de fazer novas amizades…

    1. alexandre

      oi , vi seu relato é, realmente triste uma pessoa q não liga a minima para nós. e fasem pouco caso, anota meu email para,conversar, abraços !

  25. Everaldo

    Sou casado há bastante tempo, tudo que voces mulheres escreveram tem uma dura verdade e uma dura realidade: não vou sair em defesa de ninguém, mas apenas colocar fatos para análise e reflexões. Tudo isso que voces vivem nós também vivemos e não desejamos, mas porquê? todos nós somos tomados pelas circunstâncias da vida, os problémas do dia dia, a anciedade de dar a família mais estabilidade e segurança, por sua vez a mulher fica mais tempo em casa e desejando a presença do marido o quanto antes possível, mas quando ele chega, vem carregado e não encontra o terreno fértil para esvaziar as tensões, então a mulher passa a pensar que não é mais desejada, que estar sendo desprezada, mas não é nada disso, nós homens desejamos muito as nossas esposas, queremos estar o maior tempo possível com elas, discutindo os problemas, organizando e planejando as ações futuras, mas a anciedade muitas vezes atrapalha o companheirismo, a alegria e daí se passa a pensar que não há mais felicidade; se todos nós (maridos e mulheres) forem mais pacientes, mais compreensivos, tolerantes um com o outro, isso muda e muda pra melhor mesmo e a vida volta a ser como nos primeiros anos da união, com muito amor e muito desejo e sexo quase que diariamente. Me desculpe se não fui mais claro. Desejo a todas as mulheres um rápido retorno ao mar de feliciade. Muito obrigado.

  26. Norinha

    Amigos .. cá estou aqui novamente .. antes eu reclamava da solidão .. mesmo estando casada .. só que agora .. a coisa ficou pior .. estou passando por um momento que nunca imaginei na minha vida .. vcs acreditam que descobri que meu marido a algum tempo vem se comunicando com uma amiga da família dele e trocam conversas e fotos sensuais … e pelo que li .. já estiveram juntos … ou seja .. meu marido me TRAIU .. pelo que lembro ela também é casada .. está tudo no e-mail dele .. não tem como ele negar .. são as palavras dele … vocês não imaginam o que tenho passado do dia 14/11/09 pra cá … quando perguntei para ele .. ele disse que nunca teve nada com ela .. que é uma amiga da família dele .. foram criados juntos .. que ela é casada .. que conheço eles .. que ela agora mora no exterior .. mas já soube que ela voltou para o Brasil .. eu falei que não estava acreditando que ele tinha feito isso comigo .. mas ele fez .. 24 anos de casada .. sempre desconfiei .. nunca fui atrás .. sempre soube onde era meu lugar .. criei 03 filhos dele com 03 namoradas que ele teve .. hoje estão com 24,25,26 anos .. tive 02 filhos lindos com ele .. 23 e 18 anos .. ele já tem 02 netas lindas que são como se fossem minhas netas .. enfim .. dediquei minha vida para montar essa família … trabalho fora .. sou mãe .. faço faculdade .. sou guerreira .. mas me vejo nesse momento .. sem chão … tenho meus defeitos .. mas nunca traí ninguém nessa vida .. não perdoo traição .. e ele insiste em dizer que não me traiu .. tenho a prova comigo … por que ele faz isso .. por que ele engana a si próprio … não sei o que pensar ou fazer .. ele quis sair de casa no dia que descobri .. eu não deixei … falei para ele ficar .. para pensarmos com calma tudo que aconteceu .. que apesar dos apesares .. além de casados .. somos amigos … na hora só lembrei dos filhos caçulas .. eles adoram o pai .. meu marido .. penso eu .. deve estar envergonhado com tudo isso … se errei no casamento .. ele também errou .. preciso de uma luz … não sei o que fazer .. ME AJUDEM .. não quero meter os pés pelas mãos … bjs

    1. Eu acho que deves valorizar os filhos e a forma como ele os trata. Tem homens que não merecem nenhum tipo de perdão. Tem outros que merecem, sim.

      Acredito que o que descobriste foi um caso que teu marido tem com uma pessoa casada e se tu não és capaz de pensar em fazer isso com outra pessoa, ao que parece ele pensou e fez.

      A motivação é a rotina, acho eu.

      Ele envolveu-se com uma mulher casada que não se quer divorciar. A verdade é que muitos homens casados amam a mulher que têm e mesmo assim ficam com outras. Outros não amam a mulher mas ficam com elas devido ao facto da mulher ser seu apoio nas tarefas domésticas.

      Ao veres o tipo de relação que ele sempre teve contigo, se ele falhou como marido, tanto sexual, como em termos de carinho e tal, bem como, em como ele educa os filhos. Se ele não falhou em nada deves falar com ele e falar a ele que sabes que ele o fez e queres saber se ele quer continuar a fazê-lo. Caso ele diga que sim, tens que pensar que podes aceitar ou não.

      Eu acho que podes manter um bom casamento mesmo o teu marido tendo um relacionamento com outra. Afinal não anda aí com umas e outras. Sabes quem é e tals. E se ele não te faltar em casa com o carinho e sexo ou até, ficando tu com a mesma liberdade, acredito que o casamento até poderá melhorar.

      Serão mais amigos e mais confidentes que antes.

      Pensa que Amor ≠ Sexo!

    1. juliana ferreira

      quando eu estava entregando os convites do meu casamento, há dez anos atrás, fiquei extremamente ofendida com o que o marido da minha vizinha me disse: tu vai desgraçar a tua vida, para que vai casar??? e posso dizer a todas voces, que por 8 anos fui feliz com meu marido, mas ha exatamente tres anos desde 2009 para ca, ele me trocou pela tv, passa todas as noites vendo tv e joga bola no sabado e domingo ve tv, e lembro sempre o que aquele homem me disse e acho q ele tem razão: casamento é uma merda!!! cada vez afunda mais!!! depois para sair….um horror!!!

  27. Alguém de Bem

    Estou casada desde 2006, moramos juntos desde 2001. Tenho 1 filho e estou grávida de 7 meses de uma menina. Moro num apê de 40 m2 onde passo todo o meu dia com meu bebê, e só a 3 dias pude arrumar uma secretária do lar pra me ajudar com faxina e coisas pesadas. Para brincar com meu bebê no parquinho preciso descer e subir com ele no colo 4 andares de escadas, pois aqui não tem elevador. Meu marido só fica me perguntando se preciso de $, o que falta em casa… sai de casa às 7:30 da manhã e só volta por volta das 23:00, fico sozinha com meus bebês o dia todo. Quando é sábado de tarde, que meu marido chega do trabalho, ele só fica no computador ou vendo TV, dizendo estar trabalhando, resolvendo alguma coisa, estudando ou precisando descansar. Se eu procuro ele ele me diz que logo arruma tempo pra “namorarmos”… me sinto sozinha demais, preciso ir só ao médico e ainda levar meu filho comigo, aos ultrasons (que por sinal nesta gravidez, meu marido não foi a nenhum…), levar meu bebê à pediatra… faço tudo isso sozinha. Levo ele ao shopping pra passear sozinha, brincar… etc… faço tudo sozinha. Meu marido fica a poucos metros de mim em casa (só no sábado de tarde e domingo) e a centímetros de noite… mas sinto como se eu fosse mãe solteira. Ele tenta me “comprar” dando agradinhos ou $. Estou muito deprimida, me achando gorda, feia, me sinto só, meu bebê acho que nem lembra que tem pai mais… tanto que el não fala mais “papai”, só fala “mamãe” mesmo quando tenta chamar a atenção do pai, noemalmente sem sucesso, pois ele está sempre ocupado demais pra perceber que o bebê precisa dele. Eu poderia dar detalhes cada vez mais sórdidos… mas estou morrendo de sono, hoje levei meu filo à pediatra sozinha, pra variar. Graças a Deus ele ao menos está sendo “bem cuidado demais” como ela mesma disse a mim hoje. Ao menos, meu ‘trabalho” está sendo bem feito. E ao menos consigo “esconder” minha tristeza dele, minha vontade de chorar, vontade de procurar um namorado nem que fosse virtual, que me ajudasse a me sentir mulher de novo, bonita, inteligente, atraente, que me desse carinho, mesmo que virtual, que quisesse me ouvir, saber do meu dia, passear mesmo que virtualmente… sinto muita falta de companhia. Não tenho NINGUÉM com quem conversar. Por isso estou aqui escrevendo pra um monte de gente que nem sabe quem sou, e nem sei se se interessam em saber. Mas é isso aí.

  28. Muitas historias desta mulheres sobre a solidão parece o que sinto… vou contar minha historia: Conheci meu marido com 18 anos ele era o homem dos meus sonhos… com 21 me casei e fomos muito parceiros, com 6 meses de casados nos acidentamos e ficamos 1 mês de cama e eu fiquei uns 3 meses sem andar… depois de 1 anos estava perfeita…neste periodo eu o amei muito como nunca imaginei e acho que fui conrespondida… com 24 meu filho nasceu e foi a gloria, carinho, amor, aconchego, tudo que uma mulher podia sonhar. Depois 1 ano se passou e comecei a ver os defeitos e pior a ficar incomodada com eles. Nossa brigas eram constante e ele me mandava embora e logo se arrependia mas isto decharam marca e nunca acreditei na tua fidelidade deste do namoro mas nunca tive certeza absoluta. Então ganhei a viagem pro um risort maravilhoso e ele simplismente disse não, como nossa intimidade não estava bom ou melhor horrivel, eu não tinha a menor vontade , eu fui com uma amiga, adorei ,curti e até fui paquerada…e depois voltei e ele me recebeu numa boa pos foi ele que decidiu não por causa do serviço até ai tudo bem… DEPOIS tive a pior noticia da minha vida meu marido foi preso… isto passou a ser a noticia mais falada do meu estado até do país. resumido: Estou a 7 meses vivendo sozinha, com um filho pequeno que no começo não comia, chamava o papai, todos os dias. Eu me sinto humilhada, cansada, e também sozinha… não tenho ninguém pra conversar… meu mundo virou de cabeça pra baixo, não sei o que fazer tenho medo de pedir a separação e ser considerada fraca e até cruel. Eu tinha uma ideia sobre o casamento… agora não sei mais… me sinto traida e sequestrada da minha vida… Ele era o meu principe e agora virou sapo e eu não sei o que fazer… minha amiga ganhou a viagem pro risort e quer me levar, eu acho que devo ir mas todos acham que devo ficar, “por causa dele” e detalhe a tragedia aconteceu no meu aniversario que passei sozinha em casa… Ele nunca pensou em mim mas no serviço e por isso esta preso… entendi que sempre fui o segundo plano… desculpe meu desabafo…

  29. Micaela Oliveira

    Bom pessoal acho que a casada mais novinha aqui sou, novinha de casada e novinha de idade, bom eu tenhO 19 anos e estou casada a 10 meses com um cara de 22 anos, namoramos 7 meses e decidimos e morar juntos, no começo era tudo maravilhoso, alias eu nem sei se era tão maravilhoso assim, sempre soube que ele não gostava de sair ir a baladas, festa de amigos parentes etc até porque ele não tem amigos ( que eu siba ), no começo deste ano minha mãe que mora na Bahia vei visitar eu e minha irmã, foi ai que ela o conheçeu, nossa minha mãe gostou muito dele etal, ja no final de janeiro fomos comprar os moveis, mas eu não estava feliz ainda tinha aquela duvida: vou ou não vou morar com ele? compramos os moveis alugamos uma casa e tudo bem parecia indo certo, um mês depois veio as desconfianças( da parte dele ) com um tempo eu não podia ir visitar minha irmã, ver as amigas, não podia vestir mas chortes nem vestidos, não que ele proibia, mas sempre que eu fazia algo ele ficava de cara feia, fui cortando tudo isso, hoje eu tenho que chegar na hora certa em casa, se estou triste com alguma coisa do meu trabalho eu não posso me desabafar com ele, nós não saimos, não vamos a cinema shopping NADA X NADA… não tenho mas amigas troquei de celular e na agenda tem só o numero dele e da minha mãe, sogra e alguns parentes…
    as vezes me sinto muitoo triste vontade de chorar de sair gritando, tem dias que estamos bem e tem dias que estamos mal, as veses eu me arrependo tanto de ter me casado, ter ido morar com ele, acho que eu deveria ter esperado um pouco mais…
    sinto que agora é tarde… sabe aquela coisa de convivência, deixa agente louquinha…
    gente me ajude me dê algum conselho?
    por favor…

    silvamicaela@hotmail.com

    1. Ao olhar este depoimento vejo apenas que deves-te separar. Se não tens filhos e és nova, ainda, não vais fazer mal a ninguém. Vais fazer bem a ti. Se ele te quisesse de verdade, ele te tratava com qualidade.

      Um homem que não trata a mulher bem e não a deixa usar e abusar de roupas sensuais é porque não a ama de verdade. Ele apenas quis alguém para que ele pudesse levar a vida adiante.

      Uma mulher que deixa o homem mandar nela precisa mudar um pouco. Antigamente até que poderia acontecer pois a mulher não podia trabalhar. Hoje pode e até pode ganhar mais que o homem. Vai à luta. Há muitos homens, como eu, prontos a amar uma mulher como tu, desde que essa mulher se decida pela mudança.

  30. Ana

    Me identifico muito com esses comentários… apesar de ser casada há apenas 8 meses, para mim, se parecem décadas… meu marido é um bom homem, mas é quietão, não gosta muito de falar, gosta de ver tv, internet e ficar morgando no sof, totalmente ao contrário de mim. Não tem iniciativa para as coisas( a não ser que sejam do interesse dele).
    Namoramos por 8 anos, mas sempre morando em cidades diferentes. Quando nos casamos, mudamos para SP e nesta cidade não tenho amigos ou familiares, seuque conheçço meus vizinhos pois todos são muito ocupados!😦
    Não temos problemas financeiros, nossa vida é confortável, tenho uma profissão que me rende um bom salário, mas mesmo assim, me sinto infeliz.
    Acho que criei um modelo de marido carinhoso, que me paparicasse, me levasse p passear, conversasse na mesa do jantar e nem de longe o meu é assim.
    O q eu faço??? estou desesperada… choro todos os dias querendo fugir dessa vida. Sinto saudades de bate papo descompromissado, de rir de coisas bobas…
    Tenho medo de perde-lo, mas estou infeliz da maneira como as coisas estão… help…

  31. maria angelica alvim eneas

    eu estou casada a 31 anos sempre amei meu marido, mais apesar dele falar que me ama e sempre esta me ameassando dizendo que seeu arrumar outro ele me mata e mata o outro , ele sempre tem amante , ele bebe muito adora farra amigos e gosta que eu fique sempre em casa sera que com 52 anos de idade manequim 38 eu anda vou conseguir arrumar alguem tenho 4 filhas e 5 netos hoje eu estou muito triste mais eu tiro de letra porque eu amo a vida

  32. leninha

    eu sou casada a25 anos mas a vida toda me senti sozinha , ele não sai comigo não me da nenhuma atenção passa o tempo enfrente do computador, eu sou evangelica mas ele não me acompanha aos cultos , não me dar presente de aniversario ,dia das mulheres dia dos namorados nem um beijo ele me deu q dira presente , meu coracão vive magoado eu não sei ate quando eu vou viver assim , eu espero um milagre muito grande na minha vida, e sei que Deus vai operar esse milagre……

  33. ana

    minha vi da é igual a sua e vou te dider, isso não muda não, quem tem que mudar somos nós, pois tenho até vergonha de dizer, mas peço carinho ,atenção a meu marido e ele fica é com raiva ,falando grosso e dizendo que não sabe o que eu quero,ele tem dias que se quer dar uma palavra dentro de casa, eu estou desesperada,carente de tudo, muito só, sou sincera a lhe dizer: queria muito um companheiro, mas meu marido não quer conversar, quando falo sai correndo, ele tem aversão a mim.

  34. bete

    minha vi da é igual a sua e vou te dider, isso não muda não, quem tem que mudar somos nós, pois tenho até vergonha de dizer, mas peço carinho ,atenção a meu marido e ele fica é com raiva ,falando grosso e dizendo que não sabe o que eu quero,ele tem dias que se quer dar uma palavra dentro de casa, eu estou desesperada,carente de tudo, muito só, sou sincera a lhe dizer: queria muito um companheiro, mas meu marido não quer conversar, quando falo sai correndo, ele tem aversão a mim.

  35. É uma pena que o teu texto esteja muito compacto. Gostava de ler por partes mas, do que li, parece-me bastante interessante.

    Continua a escrever mas tenta, por favor, criar uns parágrafos e outra coisa boa seria justificar o texto.

  36. kelly

    eu também me sinto só , como muitas mulheres aqui,mesmo estando casada todos os dias a solidão ocupa minha alma. tenho sete anos de casada e já enfrento esse problema, talvez tenho um poco de culpa nisso, mas ele tbém, já conversamos sobre isso, mas nada muda, não saimos,não fazemos mas nada, na verdade eu quase não o vejo mais. somos jovens eu com 25 ele com 32, mas parecemos dois anciões, nem os anciões são assim!. será q alguém poderia me dize o q fazer, ñ quero disperdiçar a minha juventude desse modo,e eu também ñ quero q ele disperdice a dele. As vezeses as tentaçõe aparece, e tenho medo de cair, pois a carência é tãnta ,que aqui dentro de mim, já ñ há mas buraco e sim uma cratera. é muito ruim!.

      1. Quero sim mas não consegui apanhar esse endereço de email. Será que não podes colocar o link do teu perfil no Facebook, Live, Twitter, etc?

  37. Mariana

    Eu também me sinto sozinha no meu casamento. Estou casada a 6 anos tenho uma filha de 5 anos. Meu marido me ignora, engordei uns 10 kilos, e não tenho forças para perde-los. Fico muito confusa com minha vida e tentando saber como começar a viver novamente.

  38. babyzinha

    Oi, tb me sinto sozinho, devo estar muito carente…estou grávida de 5 meses e sinto muita falta daquele maridão que eu tinha, amoroso, carinhoso em fim tudo de bom…depois que compramos uma casa e estamos em obra…e logo em seguida engravidei…entramos em crise profundaaaaaa…..não sei o que fazer, vivo chorando pelos cantos…mas tenho fé que logo irá passar, pois amo meu marido..
    Babyzinha

  39. Mariana

    Acredito que tudo é uma fase, a minha esta passando graças a Deus, a Deus mesmo, porque eletem poder de mudar nossas vidas e nos devolver o equilibrio que nescessitamos. Que Maria mãe de Deus esteja com toda vocês. Segurem nas mãos dela, as coisas irõ melhorar.

  40. È incrivel estava eu pensando com meus botoes o quanto sou sozinha mesmo estando casada, ai li seu texto e me bateu uma angustia enorme pois nao sei por onde começar para sair deste estagio lental.
    Hozana Sacconi

  41. Lilika

    Parece q todas as histórias se parecem muito. Estou com meu companheiro a 5 anos e no começo tudo era lindo. Ele era companheiro e compreensívo depois de pouco tempo mostrou seu verdadeiro eu. Eu sempre fui mto carinhosa e atenciosa com ele mas agora não sai mais comigo, só sozinho e não conversa muito, além de tudo bebia, é grosso e ignorante comigo. Fiquei grávida e sofri demais na gestação por causa das bebidas e da falta de atenção o que me fez pegar muita mágoa dele pois sempre fui sozinha e nem na gravidez ele pensou. Vivia fazendo promessas até que cansei e acabou o amor qdo nasceu minha filha. Fui pra casa da minha mãe depois do parto e to aqui até hje pq não tenho boas lembranças e pq fui mto infeliz com ele não e quero mais perder oq resta da minha juventude já q tenho 32 anos.

  42. josy

    tenho 28 anos e sou casada há seis anos ,no inicio foi tudo muito bonito e nos amavamos muito ,mas hoje sei que meu casamento é um fardo tanto para mim quanto para ele , não saímos para lugar nenhum ,somente pra casa da mãe dele que é uma bruxa ,acredito que a única coisa boa que temos é o nosso filho ,abri mão de muita coisa em minha vida ,para que ele pudesse se realizar,esqueci de mim,mas ele não é um homem ruim ,apenas deixou a rotina tomar conta da nossa vida .

    1. jonjon

      eu fui casado e passei a mesma coisa. Mae dela e uma bruxa e depois de receber o Green Card ela falo que queria se separa,, mais a vida melhora e so acreditar.. Desculpa o meu portuguese.. se que um amigo meu email e eumando78@hotmail.com

  43. Oi meu nome é Patricia, sou uma pessoa muito sozinha, sou casada a 9 anos mas acho que só no papel pois eu vivo na solidao, o que é ser feliz? acho que nao sei explicar só sei q só fui feliz quando morava com meus pais, hoje posso dizer que sou infeliz, eu sempre fui uma pessoa muito krinhosa , estrorvertida, simpatica, sorridente, mas agora vivo chorando pois meu marido nao fica comigo nao sai comigo, nao conversa comigo, só fica na televisao, nao sei o que é sentir prazer na cama, pq ele se quer faz um krinho em mim, quando nao fica mais de meses sem me procurar na cama, chega do do serviço e nao fala comigo,nao aguento mais a minha vida, é uma porcaria casamento, nao aguento mais entrar no banheiro e chorar, na verdade nao aguento mais viver sozinha. tenho apenas 24 anos, e nao quero mais viver, só nao vou embora de casa pq tenho 2 filhos maravilhosos que faz a minha vida ter um pouquinho de alegria. Deus faça com que minha vide muda, pois no senhor eu confio, obrigado senhor. E me desculpe meu desabafo. como Sou sozinha adoro fazer amizade, se precisar de uma amiga estou aqui para ajudar, mesmo eu precisando de ajuda. me add ai amigos ,: patygatinha_rs@hotmail.com.

  44. Depois de ler tudo que esta escrito estou comovida com tantas mulheres vivendo no mar da solidão neste exato momento não tenho se quer uma resposta dos porquês da solidão de todas vcs, a unica certeza é que todas se esqueceram de si propria por um periodo mas seu EU maior esta gritando por socorro e parabens a todas pois cada uma do seu jeito esta tentando sair deste buraco onde a classe economica, a classe social, a formação academica não aumenta nem diminui a solidão…. Porém observem se por acaso não foi OS FELIZES PARA SEMPRE que se mostrou não ser verdadeiro o PRINCIPE encantado virou SAPO, FERA,, etc… Olhem pra vcs em qual contos se predenram… tentem fazer um exercicio com vcs mesmas deixem o principe encantado de lado e olhe a princesa que esta precisando ser colocada em primeiro lugar volte para si mesmas, todas já são mãe e esposas… colocaram acima de todos os seus desejos pessoais os filhos e os maridos e parece ter como recompensa a solidão quebrem suas correntes mude o ciclo busque em vcs a força que tiveram pra abrir mão de tudo que era importante para se dedicar a familia isso é um ato de doação porque nós mulheres somos assim nos doamos pelos outros volte toda esta energia pra vcs busque suas forças, aquela que vem do útero ….. não tenham medo …..
    somos guerreiras ….. boa sorte a todas um enorme abraço…

    juliana

  45. nancy

    OLÁ, SOU MAIS UMA QUERENDO DEMONSTRAR AFETO E COMPREENSÃO A TANTAS OUTRAS MULHERES CASADAS MAS QUE VIVEM NA MAIS DURA SOLIDÃO, UMA SOLIDÃO TÃO AMARGA E TRISTE, QUE ARRASA COM MINHA ALMA,ACHO QUE CHORAR NÃO É SOLUÇÃO , SE CALAR TAMBÉM NÃO.
    QUANDO MAIS NOVA , EU ACHA QUE CASAIS SÓ SE SEPARAVAM QUANDO SE APAIXONAVAM POR OUTROS, POR QUE O AMOR É UMA CONSEQUENCIA, MAS HOJE SEI , PORQUE VIVO ISSO , A MAIS DE DEZESSEIS ANOS UM CASAMENTO SOLITÁRIO, OU UM COMPROMISSO DE VIVER A DOIS , FORA OS FILHOS , TOTALMENTE SOZINHA, FINGINDO SATISFAÇÃO, INVENTANDO AS VEZES, ALGUMA COISA, PRA LEVANTAR MINHA ALTO ESTIMA, MAS , NÃO SEI ATÉ QUANDO AGUENTO, TALVEZ ATÉ AMANHÃ, OU MAIS 10 ANOS. …SÓ DEUS SABE…
    OBRIGADO PELO ARTIGO E DESCULPA PELO DESABAFO!

  46. lucia

    tristeza é uma coisa ruim,com o fato de mudar para outro estado estado me sinto só, pois marido vai pro trabalho,filhos na facul.e não tenho com quem falar,gostaria de falar com outras mulheres que passa pela a mesma coisa,trocar informaçóes,pois ter novas amigas é bom demais.

  47. vanessa

    Não vou falar nada de diferente do que todas ja disseram, mas alem da solidao, sou super ciumenta, pra ajudar ainda mais…
    Tenho 29 anos , 5 anos de casada e 7 anos juntos. Quando o conheci, ele era um principe, fazia questao de pagar passagem pra eu passar o fim de semana em um lugar em que ele estava trabalhando ( ele é diretor de vendas e viaja muito) Sempre me ligava e ficavamos horas ao telefone, sexo era 8 vezes por dia…Beijos demorados e apaixonados. Ele dizia que eu era um anjo que apareceu na vida dele e ficamos assim por quase 2 anos…depois vieram as brigas, meu ciumes por ele viajar direto e eu desconfiar que ele frequentava puteiros com os clientes dele. Ja peguei recibo de cartao em uma viagem que ele fez a Recife de um lugar que eu nao descobri qual, mas o valor era de quase R$ 600 reais e o horario era 4:00 da manha, questionei e ele teve a cara de pau de dizer que o horario estava errado e que era uma churrascaria em que ele estava com clientes…nao me conformei mas aceitei as desculpas esfarrapadas…e outras vezes em que ele viajou e eu tentava ligar pro cel dele e todos os 4 aparelhos estavam desligados, no dia seguinte ele falava que todos estavam sem bateria ou que o lugar que ele estava nao tinha sinal( vcs devem estar me achando uma idiota)e eu sem provas nunca fiz nada..

    Enfim, hoje ele é super estúpido comigo, ate na frente das pessoas, se o convido pra sair ele fala que esta cansado, nao me procura na cama, tenho sexo no maximo umas 4 vezes por mes…nao me beija, mesmo eu tentando beija-lo, eu percebo que ele se esquiva; quando falo isso pra minha irma ela fica apavorada e pergunta porque eu ainda estou com ele..Temos uma filhinha de 1 ano e 8 meses, e ele nao faz questao de estar com ela, sempre acha que meia hora já basta e se tem que ficar mais tempo, fica reclamando dizendo que tem que mandar emails de trabalho.

    Minha familia mora no Sul, só tenho minha irma e meu cunhado aqui em Sp, e estou em um casamento sem dialogo, sem carinho, sem respeito. Ele trata a mae dele horrivelmente, ja mandou ate tomar no cu, eu acho isso um absurdo…Teve uma epoca que ele estava me ignorando totalmente na cama, e um belo dia resolvi chegar mais cedo da faculdade e peguei ele batendo uma punheta assistindo um porno…na epoca eu nem tinha filho ainda, mas aquilo acabou com minha auto estima, sei que sou uma mulher atraente, meu corpo é bonito, sou agradavel, carinhosa, e sou ciumenta mas esse ciumes tem muito fundamento. ele me deixa insegura…

    Ele é um bom provedor e um péssimo marido…

    Se alguem quiser conversar( mulheres) deixo meu email para desabafarmos:

    vanessazop@hotmail.com

  48. Lara

    Quanta solidão feminina… E eu acreditava ser a única, pois todos os casais q conheço parecem tão felizes e tranquilos.
    Mas veja essa matéria, postada em 2008… São 4 anos de posts e comentários tristes, por vezes até trágicos, QUANTAS mulheres, assim como eu, completamente solitárias. Qdo não maltratadas, traídas.
    Penso o que foi feito do meu “feminino”… Não o que fizeram dele, mas o q eu permiti q fizessem. É como se eu estivesse sendo ignorada, menosprezada, não reconhecida como MULHER 24 horas por dia.
    Sou casada ha 6 anos, pela 2.a vez. Uma relação surreal. Acho q ele me odeia. Mal fala comigo, trabalha freneticamente e qdo está em casa, é só TV e o maldito ipad. Ele brinca com os meninos, isso é verdade, dentro de casa, mas brinca. É um bom pai, pode-se dizer. Mas comigo, nada… Se ele tiver q ser mega grosso (ele eeh sempre) comigo na frente das crianças, ele não tem pudor. Sexo? 1x por mês rola se estiver “tudo bem”. Por isso, achei simplesmente “um luxo” o post da Vanessa que diz ter sexo “só” 4x no mês.
    Qdo brigamos por coisas tão importantes qto “aquela frase que vc disse q não me lembro, mas q fiquei muito ofendido” ou porq me envolvi numa batida de carro, ele fica sem falar comigo por 2, 3… Até 6 meses. Não me olha na cara. Chega (tarde), cumprimenta as crianças e se precisar “desviar” de mim p/ não dar “boa noite”, ele faz. É constrangedor. Já viajamos c/ as crianças sem nos falarmos, crente q estamos disfarçando. Nos 3 primeiros anos, eu ainda tinha aquela coisa de “vamos lá!”, tentava brincar, fazer cosquinha, pular no colo dele e fazer uma piada p/ quebrar o climão e fazer as pazes. Só q depois de tanto tempo, deixa de ser uma estratégia de reconciliação e passa a ser humilhante. Me pergunto se manter uma “briga” por tanto tempo não é um jeito de mascarar a total falta de desejo dele por mim. Toda semana ele fica hooooras em sites pornôs no ipad. E não se dá ao trabalho de apagar o histórico. Qdo eu apago a luz do meu abajur, já sei q lá na sala, ele vai pegar o ipad e entrar em site pornô. Já chorei muito. Hoje não sei se sinto raiva ou pena. Sou bonita, jovem, gosto, adoro transar c/ ele. Desde q começamos a namorar ha 11 anos, nunca mais estive c/ ninguém. Malho, corro, vou a clinica de estética, salão de beleza. Adoro estar com tudo em dia! Tb curto demais estar com meus filhos, que são minha paixão. Sou super mãezona. Tenho um negocio próprio e tb faço cursos de massagem infantil e energização, porq curto muito essa coisa de energia. Sou uma mulher ativa. Mas muito mais do q um corpão, sou animada, alegre, adoro a vida, estou sempre às voltas com minhas amigas… Me pergunto, por que todo mundo me ama, menos meu marido, droga????
    Não penso em traição. Tenho certeza que isso me machucaria muito mais do que a ele e por mais q seja horrível essa solidão física, emocional e sentimental, trair está fora de questão.
    Os meninos são pequenos e enfrentar outra separação é simplesmente aterrador p/ mim. Quem mais sofre são as crianças, eu acho. Vejo pelo meu 1.o casamento, minha filha sofreu demais e acho q sempre fica uma sequelinha. Por mais q tenha sido consensual e civilizado… Nos tratamos, meu ex-marido e eu, com muito respeito e educação até hoje, pelo bem de nossa filha.
    Por isso, acho q essa situação q estou vivendo é uma armadilha, estou encurralada. Separar-se pela 2.a vez é uma coisa que ninguém deveria merecer… Alem disso, qdo me lembro do nosso tempo de namoro, meus olhos marejam em pensar q poderíamos viver unidos e felizes ainda hoje, mas vivemos desse jeito de Deus me livre. Por outro lado, às vezes me bate um siricutico, “minha vida tá passandooooooo e eu aqui, dia após dia, sozinha…”
    O q mais desejo é encontrar forcas de transformar essa situação.

    1. jonathan santiago

      Eu achou triste mais fazer o q.. sou hm e tenho 33 anos e sei como e.. Mais a vida vai em frente e por coisas que as vezes nao tem resposta. Passamos anos em um solidão em meio um multidão. Ele ver porno pq porno nao responde, ele da atenção pra as crianças pq ora eles ele e um herói.  As vezes casamos e tudo virá família e depois de um tempo samos parceiros e mao mais um casal.. em um casamento tem família e ou casal. Nunca pode mistura.. tem que ter um tempo pra tudo mundo junto e tb um tempo so pra vcs dois. Eu casais e coloquei tanto foco na parte família que quando vui ver ja eu tinha perdido meu lugar como namorado.. a verdade vai ser durou mais e bem mehor que anos de tristeza. Vc nunca vai ter paz ate vc encontrar todos os pedaços.. eles diz que vc so sabe o valor depois que vc perde. Mais tb vc nunca sabe que vc ta perdendo ate que algo novo chega.. qualquer coisa se alguem ta afim de conversa meu email e eumando78@hotmail.com. desculpa meus erros de português mais to ainda aprendendo.. sleepless in curitiba

      Sent from my MOTOBLUR™ Android device.

Os comentários estão desativados.