Falando de sentimentos

Sábado eu tive uma experiência muito legal. Fui indicada pela querida Fátima, do blog Né?, para participar de um estudo de comportamento feminino através da Mandalah, empresa que a partir desses estudos cria estratégias de inovação para grandes marcas. Looxo, né?

Houve uma reunião de mulheres casadas, solteiras, com filhos, sem filhos, numa casa bem bacana no bairro do Butantã, aqui em SP, onde discutimos nossos sentimentos e foi super interessante.

Em uma das dinâmicas, nossos corpos eram desenhados num papel bem grandão e a gente escrevia 5 sentimentos negativos e 5 positivos na folha grandona. Aí atribuíamos cor a cada sentimento e localizávamos a cor no nosso corpo, no local onde aquele sentimento atua com mais força. No fim descobrimos que todo mundo concentrava sentimentos da cintura pra cima, geralmente na região do tórax e cabeça. Também descobrimos que ansiedade é um sentimento unânime entre as mulheres e que a culpa acompanhava principalmente as mulheres com filhos.

Pra mim foi muito enriquecedor falar dos meus sentimentos porque com isso eu alinhei um monte de coisas que eu nem sabia que eram daquela forma e conclui algo interessante: eu sinto culpa por coisas que faço e não tenho certeza que o outro aprova. O outro pode ser o Alê, minha mãe, ou alguém de fora.

Realmente, quando a gente fala, escreve, ou encontra uma forma de expressar nossos sentimentos as coisas vão ficando cada vez mais claras, e assim conseguimos mudar o que incomoda e potencializar as coisas boas.

Passei um sábado delícia, conheci um monte de gente bacana e ainda ganhei presente. Mooeetobom!

Fotos?

BL Mandalah 010

Uma das participantes anotando seus sentimentos (naõ sou eu).

BL Mandalah 030

A mesma participante localizando os sentimentos no corpo dela desenhado no papel.

BL Mandalah 083

Eu sentada no corpo desenhado e anotando minhas observações e conclusões.

BL Mandalah 061

Eu, numa vibe CARAS!

Anúncios

23 comentários sobre “Falando de sentimentos

  1. Jane, que delicia de encontro. Ai, adoro falar de mim e dos meus sentimentos. Como nem todo mundo gosta de ouvir, e eu detesto conversar com alguém que não presta atenção no que eu estou falando, tenho o hábito de falar sozinha (vai vendo a loucura). Foi o jeito que eu encontrei de arrumar as idéias… falo muito sozinha, principalmente na hora do banho. É lá que tenho meus melhores insights (vai entender!)…..

    Ah, e eu sou muuuuuito ansiosa também, é claro!

    Adorei!
    beijos
    Faby

  2. Carolina Fernandes

    Puxa… que legal, deve ser bem interessante né!
    Eu sou meio vergonhosa para ficar falando de mim, mas é deve ser bom para a gente se conhecer melhor.
    bjs

  3. Andrea Meneghel

    Que 10 Jane!
    Falar da gente e colocar as coisas em ordem é sempre bom, praticamente uma “faxina” na alma.
    Soou muito crítica comigo mesma e tb vivo em busca da aprovação de todos, segundo minha terapeuta, tenho que começar as fazer as coisas para mim e não para os outros (para tentar agrada-los), com isso serei mais feliz, terei menos ansiedade. De repente esse é o caminho pra vc tb, né?
    Boa sorte!
    Beijos.

  4. É Jane…Tenho muito mais idade que você e ainda sinto o mesmo em relação ao que as outras pessoas “pensam” de mim…Participe de tudo que vier pra lhe abrir as perspectivas e viva mais por você que pelos outros, porque aí é que será plena e poderá passar muito mais coisas boas pras pessoas, né?
    Viver é tão simples, mas tão complicado!!!!

  5. drika oliveira

    Jane.. tenho certeza q aquela foto não era sua… vc não iria escrever cansaSSo.. kkk
    adorei sua experiência, soh de ter lido.. deve ter sido realmente enriquecedora
    bj

  6. Ai, Jane!
    Você falou e disse. Acho super importante esse momento de auto-análise, sabia? Escrever sobre isso também é muito interessante, embora seja um pouco difícil muitas vezes, não? Mas que legal que você curtiu esse momento e que ele, de fato, foi proveitoso para você. 😀


    Ei! Já te imaginei contando o teu mantra e não me aguentei…kkkkkkkk… 😀
    Beijos, bonita!

  7. Ahhhhh, deve ter sido de fato,bem interessante Jane. Li outro dia um livro que falava exatamente da importância das pessoas localizar e conhecer os sentimentos, que sao inerentes a elas, porque só assim, falando sobre eles,podemos nos entender melhor. pra quem tem filho, é igualmente importante, ajuda-los nessa descoberta. A gente tende como pais, ir levando as reacoes das criancas na barriga, p ex, se ela esta com raiva,a gente faz de tudo pra ela esquecer a raiva, ou diz que isso nao é bom, se chora, a mae ou o pai vai lá e faz tudo pra ela parar de chorar, a crianca fica pensando que tem algo errado em mostrar seus sentimentos e ai ja viu ne?? um monte de novos adultos burrinhos com relacao aos sentimentos…
    bem complicado!

    Ei, que bonitinha vc nas fotos.

  8. Oh amiga que coisa mais bacana, esse tipo de “encontro” deve ser muito enriquecedor mesmo…..engraçado (ou não?) mas eu por exemplo não “consigo” falar de mim, dos meus sentimentos c/ as pessoas que me cercam no dia a dia, sabe aquele sentimento lá bem do fundinho, não rola.
    Beijocas

  9. Dani

    Agora eu coloquei a leitura em dia, eu acho…rs

    Então, bom q com esse encontro, vc conseguiu perceber coisas que não estava dando importância, precisamos nos importar conosco, tentar sentir e enxergar aquilo q nos incomoda nos outros e aquilo q nos incomoda em nós mesmos, mas eu sei q é dificil. E que bom que em um encontrinho assim vc conseguiu visualizar algo pra vc.

    Agora é seguir no rumo da melhora. Bom, depois tu me conta se o temepero ajudou.

    Bjs

  10. Olá!Achei muito interessante esta atividade, sorte a sua de ter tido esta oportunidade.
    Fazer descobertas sobre nós mesmos é muito bom, digo isso pois faço análise e sei bem com é, a cada sessão, afloram coisas que eu nem sabia que existiam e sempre estiveram lá, muito bacana!
    Beijos!

  11. Gostei muito do seu post.Somos cheias de defitos, de qualidades, e de culpas,principalmente quando se trata dos nossos filhos, achamos que sempre falta alguma coisa, e é sempre bom discutirmos com outras pessoas as nossas ansiedades, nossos desejos, nossos dramas…é sempre bom nos decobrirmos…e nada melhor do um bando d emulheres reunidas…
    beijos…

  12. Oi Jane, que legal, eu tb fui convidada, mas não pude ir pois tinha uma festinha no sábado, daí me enviaram o questionário, respondi e retiraram aqui em casa, senão a gente teria se conhecido tb né? Ah tb ganhei presente, e claro graças a Dona Fátima que tb me indicou hehe. As meninas da Mandalah são todas super fofas!! E amei responder o questionário.
    bjsss

  13. Nadia

    Jane, tambem adorei nossa tarde e descobertas!

    Fefis e Drika, fui eu que escrevi cansaSSo… Desculpe, ainda nao cheguei no grau de inteligencia de voces.

    Um beijo grande.

    Nadia

  14. Oi Jane!
    Eu estava procurando (susan) desesperadamente esse post, lembrei dele porque vou trabalhar com um grupo de pessoas que sofrem de doenças crônicas, achei bem bacana esse tipo de atividade e pretendo adaptar com eles. Obrigada (espero que não haja problema em copiar a dinâmica). BJO

  15. Pingback: Moetos presentes de Natal « Mulheres (Im) Possíveis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s