Meu reino por uma bolsa

Na quarta-feira fui à 25 de março comprar um monte de brinquedos, tanto para as crianças que fazem aniver em dezembro (ô mesinho que nasce gente, hein meu povo) quanto os presentes de Natal.  E aí fui numa única loja, a Camicado, e matei todos os coelhos numa paulada só.

Depois disso, fui reinar na 25.

Lá tem muita coisa legal, muita loja de bijoux, onde comprei mimos pra tudoqué cunhada, agregados familiares, amigas. Só que já estou experimentando os presentes delas e pensando seriamente em surrupiar alguns pra mim … eles combinam bem mais com meu jeito sexy de ser. Não tinham tantos camelôs quanto de costume, porque o rapa (Garda Mtropolitana) resolveu mostrar serviço. Mas nas bancas existentes, tinha colar de “pérola” por 8 reais, chapinhas por 15, bolsas sintéticas ou de tecido, lenços e uma infinidade de traquitana que ninguém pode negar que a gente fica amando muito.

Agora no Shopping 25 só tem produto falsificado. E eu não estou falando somente de meia duzia de modelos de bolsas, não. Existem falsificações de todas as marcas, tem Chanel, Gucci, Colcci, Kipling, Victor Hugo, Marc Jacobs e todas as outras marcas pheenas que a gente viu na TV, com uma variedade incrível de modelos, cores e tamanhos. E o mais notável é que não são feias nem baratas.

Por exemplo, as Colcci falsas são super legais, grandes, em cores da moda, mas tem uma placona metálica na frente com o nome da marca. Aí não dá, né? Eu até perguntei pra vendedora se não tinha uma sem a marca, e ela disse que não, isso sem contar que deve ter me achado um ET de Varginha.

Eu confesso que comprei uma necessaire Chanel “genérica”, mas não pela marca, e sim pelo modelo. Confesso ainda que tenho até vergona daquele C na frente da minha bolsinha, porque quem me vê e me conhece logo saca que eu não tenho pinta de quem tem uma necessaire Chanel.

Aí é que está o meu problema. Se eu ralar, fizer um carnê, der umas parceladas, eu até poderia ter uma bolsa daquelas chiques no úrtimo. Mas quem me vir, vai sempre ter uma dúvida no coração se é falsa ou verdadeira. Então, prefiro ficar com coisas que eu posso pagar sem comprometer o leite ninho das criança e que, na verdade, façam o mesmo efeito. 

Com isso concluí que uma Victor Hugo, uma Kippling, uma Colcci até rolaria se eu desejasse muito. Agora certas marcas não são pra mim, não combinam comigo e eu não quero. De verdade.

Anúncios

22 comentários sobre “Meu reino por uma bolsa

  1. Jane,
    eu tenho uma amiga que tem super cara de rica. Acabando de acordar, camelando na 25 ou no Paraguai (já foi pra lá? vixe, paraíso), sempre com cara de rica!
    E nós somos 3 amigas, eu e a outra com cara de pobre. Uma merda, sabe moreninha, baixinha, magrinha que ninguém olha? pois é…
    Daí que a amiga loira e “rica” pode usar jóia falsa, bolsa falsa, relógio falso, e todo mundo jura que é verdadeiro!
    Nós duas, as “pobres”, mesmo com o verdadeiro parece que é falso! Daí não vale a pena mesmo!
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Uma vez no Paraguai acharam que nós trabalhavamos para ela, toda linda, loira e maquiada naquele inferno!
    Quem pode, pode.
    Beijos
    Lu

  2. Patrícia

    Ai, Djeine, cê é engraçada demais fia:))! Amei com força (vixi, ficou meio erótico isso, cruzes!…) esse post! Até eu fiquei com vontade de levar a bolsa Colcci, se desse prá “remover” a placona sem danificar o prodútio, mas não dá, né, sofremos… Grande beijo, gata! Bom sábado!

  3. JANE, vc é linda de qualquer jeito.
    use a falsa mesmo!
    sem vergonha nenhuma
    vergonha é uma celeb usar uma bolsa que custa o valor de um carro.
    bjs
    lilly
    coisadelilly.wordpress.com
    e blogdareforma.wordpress.com

  4. Jane, amiga, penso “iguar”! Não dá pra comprar uma bolsa com a plaqueta imensa em neon gritando Marc Jacobs e andar no ônibús de pobre lotado que eu ando todo santo dia pra ir pra labuta (e olha que tenho até uma carinha de riquinha… Kkkkk!!)… Tudo bem que o povinho que anda neste buzú, nem sabe quem é Marc Jacobs, Gucci, etc, mas vai que o ônibús pára ao lado de um cara lindo no seu carrão e eu tô lá “dependurada” com minha bolsa falsiê?!! Cruzes!! Isso sem contar nas patricinhas dos carros ao lado…

    Adoro bolsas, amo, mas meu dindin só dá pra comprar as sem marcas que garimpando muito aqui na terra dos Caetés, a gente encontra até umas bacaninhas…

    Bjuuuu

  5. Gislaine

    É Jane a 25 é um paraíso, e concordo com vc…até tenho bolsa Kipling pq ela dessas todas é a mais acessível originalmente falando e eu trabalho muito pra deixar meus reaiszinhos em uma bolsa que por aqui tem gente que nem sabe o que é…mas que as falsiês dão vontade de comprar dão…
    beijo…

  6. Ai, aqui no brejo onde vivo nao tem opcao “B” das coisas. Nao rola mesmo. Tinha uma lojinha que se chamava “Samba Kitchen” em A’dam mas faliu, com as melhores copias e piratarias que voce pudesse imaginar. Falsidades tem que chegar aqui escondidas na mala, entre as garrafas de cachaca da boa, sacos honestos de farinha de mandioca e povilho azedo pro pao de queijo nosso de cada dia.

  7. pois eu vou dizer uma coisa: nem que eu tivesse montes de dinheiro sobrando eu compraria essas bolsas com esses logos enormes estampados. acho o fim da picada eu pagar prá fazer propaganda. não deveria ser o contrário?

    e olha, amiga, eu sou como vc, também não tenho cara de rica, e acho que se usasse uma dessas carésimas, o povo ia achar que era farseta!

    bj

  8. Oie sabe eu moro aqui no sul e este fim de mesmo tava vendo as reportagens da 25 de março e fiquei imaginando como seria deve ter muitaaaaaaa gente mesmo…quem sabe um dia eu fico rica e subo para ai ne…outra tava vendo na TV tambem os esquemas das bolsas tem cada uma e o precinho tri agradavel nenhum por menos de 100.000 e acho que posso dizer que sou meio mão de vaca também…não daria tudo isso em uma bolsa mesmo ela tendo diamantes prefiro comprar em chocolate…ehhehehe….Uma otima semana. Bjos

  9. Aqui no RJ temos o SAARA! Pensem eh realmente o proprio deserto nessa epoca do ano so no calor…. pq eh um mundarel de gente!!! Muito bom! Ja comprei vestidinhos a 5 reais q nas “lodinhas di griffe” era mais de 100 pilas!
    Ta doida?! To nao ‘mia fia” pq alem de desempregada eu vendo Natura e o povo ta mais interessado em passar a vender como eu q comprar comigo kkkkkkkk.
    Mas adooooooooooro!
    Mamis se esbalda qndo vai pra lá voltamos cheia das sacolinhas.
    Bijus, brinquedos pras quermesse da Paroquia, bolsinhas, roupinhas, ate roupinhas de baby mamae ja comprou!
    Mas sao fofas viu?
    Bem um dia vou na 25 de Março da Pauliceia!

    Um beijo

    Eminha

  10. Oi, Jane. É relativo isso de poder ter um objeto caro ou não. Fazer um carnê, parcelar em cheque ou cartão, muita gente pode. Quem tem grana e não precisa fazer conta , compra mesmo, custe quanto for. Agora, empatar meu dinheirinho só pra todo mundo ver que “eu tenho uma…. ( fala a marca que quiser ) é de uma pobreza sem fim.
    Mas tem uma coisa: não compro falsificação. Ou tenho o original, ou necas…Orgulhosinha, eu!!!

  11. Na real eu conheci uma nova 25 na Av Paulista, fica na Paulista com a Pamplona, uma galeria enorme que vende tudo da 25 por pessoas que mal conseguem dizer o preço e colocam na maquina de calcular ou têm um brasileiro trabalhando para eles. Fechei lá! Comprei um celular que ainda nem tá no Brasil com garantia de 4 meses!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s