Das coisas que nunca acabam

Eu faço inglês, contei? Faz uns trezentos anos. Já fiz em escola, com professor nativo, com professora de escola, com mega power teacher advanced.

E estudar inglês é o tipo da coisa que nunca acaba. Principalmente se você, assim como eu, não utilizar o idioma no dia a dia. Porque se parar, volta pro verbo tóbe e não sai mais dele.

Na verdade eu gosto de inglês, sou interessada, gosto de ouvir música, entender, gosto de falar e de ler. Só naõ sei escrever. Minhas mensagens de texto deixam a professora desesperada, inclusive.

Se eu fosse bem disciplinada eu poderia estudar sozinha, mas eu sou do tipo que se deixar por minha conta o mundo não acaba em barranco, e sim em sofás reclináveis. Então tenho uma professora que gosta de falar de esmalte e Brothers & Sisters, e de quebra corrige minhas falhas linguísticas. Então ela vem aqui em casa, e a gente fica no trololó. Hoje fomos ao Fran’s Café, pra dar uma variada. Tomei um chá de boldo pra rebater um croissant de ricota temperada com alho que comi em casa, mas esse assunto é pra outro post, talvez com o título “das coisas que o boldo cura”.

Agora o mais legal de tudo é falar em inglês com o João. Até a hora que ele cansa e diz: – agora fala direito, mamãe.

Anúncios

23 comentários sobre “Das coisas que nunca acabam

  1. hahaha
    Eu sempre chego nesta parte rindo… Chá de boldo não é muito inglês, né…
    Mas desta vez nem vou comentar o inglês, vou fugir do tema e levar 0 na redação, mas preciso dizer: eu nunca tinha pensado no quanto morrer em barranco era desconfortável… Como assim? Quando estamos cansados, preguiçosos… por que dizer isso, meus Deus!! Vou aderir aos sofás reclináveis, de preferência com muuuitas almofadas e musica zen.
    Kisses and bye bye

  2. Pois é!
    Essa semana, revendo umas documentações antiguinhas que fiz aqui pra empresa, reparei que meu inglês escrito era muito melhor. Passados 5 anos, nenhum estudo e só conversas com quem fala um inglês meio, digamos, estranho (indianos, chineses…), percebi que “desaprendi” tudo. Eu até tinha me iludido que tinha acabado, mas não, não acaba…Preciso voltar a estudar urgente!!

  3. É amiga se não exercitar atrofia…..agora triste é voltar a estudar aquele “Tóbe” de 5ª série com a filha mais velha…sofro….e saber que logo volto na mesma lição com a caçulinha, daí sofro parte 2.
    Bjs.

  4. Jane, Jane

    Confesso que já comecei e parei de fazer inglês três vezes e então cheguei a conclusão que não nasci pra coisa, assim como não tenho aptidão para dirigir.
    Desisti, não tenho afinidades com essas coisas, sou muito prática. Sofro!

  5. Inglês, como no meu currículo acadêmico: leio bem, entendo bem, falo pouco, escrevo pouco. A Laura (2 anos ) tem inglês na escola. Eu achava que eram só musiquinhas e tal. Outro dia ela pegou um hipopótamo de pelúcia e disse, mamãe, ó o hippo. Pirei. No meu caso, eu é que vou pedir para ela falar direito!

    Beijos!

  6. Me senti uma pessoa mais segura ao ler estudar inglês é o tipo da coisa que nunca acaba.
    Sabe como é, preciso me assegurar de que terei alunos forever! hehehe

  7. Eu adoro inglês, terminei o curso da Cultura no ano passado, mas nunca tive problemas para falar e ouvir. Como trabalho como secretária eu uso sempre, então é facil não perder o
    costume.
    Agora escrever…. é uma coisa. Eu fico burra, não sai nada, fico tensa e insegura. Tinha que ter um curso só pra escrita, tipos o de conversação né?
    Beijos

  8. Quer desaprender o inglês? Venha para a Espanha. Aqui very good, é beri gud e apple é apel (com o “l” espanhol!!!!).
    Näo é por nada näo: meu nível de inglês é muito mais ou menos e o pouco que sabia os espanhóis me fizeram esquecer dele!
    Por isso que agora estudo francês com uma nativa gente boa! Foi o que sobrou!
    Beijos, Jane, e qualquer dúvida, chama o Joäo!

  9. Jane!
    Tbém adoro ingRês. Adoroo. Já fiz com professor particuleixon, já fiz em escola vagaba, em escola boa, mas agora parei. Parei tudo e meu ingRês voltou pro verbo to-bé. Aff!

    Hahahah!! Adorei o João, pedindo pra vc falar direito qdo cansa do inglês!

    Bju e bom findi!

  10. Rosa Mônica

    Ah, Jane , nem me fale de inglês, pois a mamãe diz q/ ñ entendi como eu fiz tanto tempo e digo q/ ñ sei mais nada. E eu : mas é verdade !!!!Moro de vergonha qdo viajo, pois fico muito insegura!!!
    É um terror!!!!!
    Bjos.

  11. ADOROOO imagino vc conversando com o João em inglês!!! Tadinho do menino!!! Mas realmente é sempre bom manter a lingua senão já era!
    Beijos saltitantes
    Bom fim de ssemana

  12. Pingback: Tweets that mention Das coisas que nunca acabam « Mulheres (Im) Possíveis -- Topsy.com

  13. O Brasil alem de ser um pais monoglota, fica distante de outros paises que nao sejam hispanohablantes. Fica dificil manter uma lingua estrangeira nessas condicoes.

  14. Pessa desculpas por possíveis falhas na sua escrita e mande ver na prática escrita. Eu faço isso quando preciso praticar a fala. Mas concordo com tudo isso que voce disse, meu ingles se reduziu muito também… Abraço pra voce e pro João!

  15. O inglês de vocês tá parecido com o meu deutsch aqui em casa… O máximo que ando falando em alemão é “nein, nein” e as crianças sabem do que se trata: estão proibidas de chegar perto ou fazer alguma coisa e que isso é importante. De vez em quando sai um Freud, Jung, Fritz, Frida, mas porque são nomes próprios e aí não tem jeito.

    Pelo menos em inglês tem muita opção de filmes que dá pra ficar sem legenda, temos uma cultura que absorveu bastante o inglês (infelizmente…), mas alemão, que meu pai fala só quando está em apuros, entende superbem, mas não passou adiante e assim não consigo nem tentar um papo mais cabeça com a minha avó?!

    E morando perto de Argentina e Uruguai, tendo prima e afilhado, filho dela, que moram em Buenos Aires, eu que me dizia boa em espanhol, leio mais ou menos e travo pra falar… e é tão semelhante ao protuguês?

    Meu afilhado me olha tão desconfiado!!!!

    Beijos, sorte (persistência é mais necessária nesse caso!)!

  16. Ai que gracinha, João falando Inglês!Nama não sei se comento sobre suas aulas ou se falo sobre as curas do boldo, é ruim mas faz milagre,né? É melhor que por os bofes pra fora.
    Quanto ao seu inglês, está anos luz menhor do que o meu pois comigo, depois do book on the table, fia não vai mas nada. Derrota!
    Eu escrevo e ouço bem inglês, agora me manda falar… vou convidar o João pra vir aqui em casa estudar comigo, você deixa?
    Beijos!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s