Viver bem é uma sintonia fina

No livro É tudo tão simples, a Danuza Leão tem um capítulo chamado “o que eu não faço mais”. Nele, ela lista uma série de coisas que estão fora de cogitação fazer. E não pensem que ela está falando de coisas inusitadas, tipo fazer uma trilha de 10 Km morro acima, ou ir numa cerimônia chata. Ela deixou de ir a algumas festas, a jantares e outros programas bem elementares.

Tá. E o que eu tenho com isso?

Acontece que estou numa fase um pouco introspectiva, pensando (e listando num papel) quais são minhas prioridades, o que é vantagem, o faço mais para agradar a “torcida”, o que compensa.

E fazendo isso cheguei a conclusões reveladoras e que podem parecer até um pouco pedantes/arrogantes, mas que têm que ser encaradas de frente. Conclusões do tipo “eu não preciso passar por isso” ou “ou não quero mais passar por isso” estão pairando sobre minha cabeça e pra mim não é fácil me dar ao direito de pensar assim. Tenho que lutar contra um ser que também mora em mim e que acha que sempre dá pra contornar, sempre dá pra tentar entender …

Entre mortos e feridos, é muito bom ver luz no fim de um túnel que parecia interminável, contar com a família acima de tudo, com  velhos amigos, aprender com pessoas mais jovens e vigorosas, e perceber que sempre haverá SUPORTE no melhor sentido da palavra!

wind

Anúncios

7 comentários sobre “Viver bem é uma sintonia fina

  1. isso é verdade verdadeira mesmo! a idade (não que vc seja velha!) faz a gente deixar de fazer um montão de coisas que fazia só p/ agradar a galera e ter um milhão de “amigos”. quanto mais velha, menos concessões.
    aquelas pessoas que gostam de falsidades, de oba-oba, vão te achar antipática, mas elas importam? NÃO!

    bj

  2. paulina

    Oi, Jane! Que bom ler vc novamente. Ainda não comprei o livro, mas este bairro só tem livraria decente no “Ibirabrega”!!!!!!!
    Bem….são 3 fases: vc está na 2ª, quando achamos que esses compromissos nos desgastam. Eu estou quase entrando naquela: “Vai em tudo, até batizado, senão……..vc vai morrer sozinha na praia”.
    De qquer maneira, todas elas são divertidas, desde que assimilemos o espírito da coisa: nunca se violente, mas curta o limão que a vida te deu, fazendo uma caipirinha!
    bjs………..

  3. Danuza é ótima. Faz a gente refletir em muitas coisas do dia-a-dia. Falei dela num post no ArteAmiga, que chama Ter Tanto, aproveitando o que ela fala sobre simplicidade.
    Boa semana,

  4. Jane, simplesmente amei seus escritos.Lí vários textos! Também estou numa fase de selecionar amigos, lugares, coisas.Ou seja ficando um pouco mais exigente!Vou te seguir para ter o seu link. Assim poder vir por aqui.Um abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s