Mostre-me quem tu és

Posso falar? Eu amo cada comentário e cada comentante. Ainda mais quando o assunto é o João, porque a regra é clara: Quem meu filho beija, a minha boca adoça!

Eu adoraria poder responder todo mundo, agradecer, enfim, o que eu consigo – a trancos e barrancos – é responder às perguntas😦

Outra coisa que eu gosto bastante é de conhecer quem comenta, eu procuro assinar os blogs dos comentaristas e sempre dou uma sapeada. Novamente, fico devendo um comentário, e as vezes nem tenho o que comentar, apenas vejo, gosto, fico contente.

E pra quem não tem blog tem um jeito de colocar uma fotinha no comentário, quer aprender? Precisa fazer uma inscrição grátis no Gravatar – Globally Recognized Avatar (clica aqui) e aí toda vez que você fizer um comentário nesse ou em qualquer blog WordPress aparece sua carinha lá!

Faz aí, vai?

Hoje o João faz 5 anos

Sim, todo ano eu quero a mesma coisa: que o tempo pare!

Eu sempre tenho a sensação de estar vivendo a fase mais legal do meu filho e a cada dia me surpreendo. Mas não é uma surpresa desejada, eu tenho medinho do futuro, só que a cada nova conquista, a cada letrinha nova que ele conhece, a cada comentário engraçado, dá vontade de que o dia de amanhã chegue mais rápido.

Ele já escolhe o que quer comer e escolhe até o restaurante. Sabe o que quer vestir, mas se eu deixar ele quer usar regata em pleno inverno paulista, porque ele não tem o menor juízo. E é tão bonitinho ver que 5 anos ainda é uma idade de profunda inocência. De total liberdade, de achar que o mundo foi feito para brincar, de ter certeza que dormir é uma imensa perda de tempo.

Hoje faz 5 anos que eu dedico minha vida a uma pessoa, que é um pedaço de mim, o meu filho João. Não há presente, festa ou viagem que demonstre o tamanho do meu amor e do meu desejo em te ver feliz, meu filho. Simplesmente feliz.

Tem PROMOÇÃO? Tem, sim senhor

Este blog, também conhecido como importante instrumento de utilidade pública e informação geral (COOOOFFF) e cuja blogueira sofre com os efeitos devastadores da secura paulista, recebeu da TRIUNFO uns presentinhos. E para animar as vidas secas (já leu?) da galera, resolveu sortear as cosinhas aqui, que tal?

Para participar é mamão com açúcar: basta acessar   O SITE  e responder a pergunta  “Qual a novidade mais saudável dos biscoitos Triunfo?”

A resposta correta irá concorrer aos seguintes prêmios baphos:

– 1 Eco Bag (última moda em Paris e nos melhores supermercados do ramo)

– 1 Necessarie irmãzinha da Eco Bag

– 1 Kit contendo: 1 secador, 1 prancha (chapinha), 1 pente e 1 escova

Ó que tudo de lindo:

O prazo para partipar se encerra na próxima sexta-feira, dia 03/09, na última badalada da meia noite. O sorteio ocorrerá no sábado, dia 04/09 e o resultado será divulgado na segunda-feira, dia 06/09.

Recaptulando: entra no site, vai nos Lançamentos (passei cola, hein) e responde “Qual é a novidade mais saudável dos biscoitos Triunfo?”. Escreve a resposta nos Coments deste post (resposta certa né Braseal?) e confia!

A única restrição é que somente temos verba para enviar os prêmios para endereços no Brasil.

Então …. VALENDO!

Habilidade faltante

Como já falei aos quatro ventos, tenho algumas habilidades estranhas ao universo feminino, entre as quais a que mais me causa orgulho é ter vindo com GPS de fábrica.

Por outro lado, também me faltam coisinhas miúdas, roendo, comendo, arrasando aos poucos o nosso ideal, tais como a capacidade de me auto-embelezar.

Só sei secar meu cabelo meia bocamente porque ele é vagabundo, nem gosta de grandes banhos de cremes e tals.

Agora minhas unhas, que são minha principal neurose, não sei pintar. E isso naõ seria uma imensa frustração se eu não tivesse  uma coleção de esmaltes. E pra completar, sábado ganhei na festa do Esmalte no Pé uma coleção de 15 (quinzeeeee) esmaltes da marca RIVKA.

Vejam-nos:


Morro?

Eu queria trocar de cor todo dia, tipo as meninas que conheci na festa, a Camila, do Louca por Esmaltes e a Keks, do Mão Feita. Só para constar, elas existem mesmo, e trocam de cor como se não houvesse amanhã.

Também andei fazendo campanha no Twitter pras meninas me ensinarem a pintar as unhas, mas preciso de um tutorial nível mobral.

Tem jeito?

Festinha no Blog Vizinho

Sábado teve festa de dois anos do blog Esmalte no Pé, da Mara e foi tão legal!!! A Mara é uma amiga querida, que conheci graças ao Mulheres. Tão vendo como esse meu blogueto só me rende coisas bacanas?

Foi com ela que eu fiz a Consultoria de Estilo, que comentei nesse post, e desde então (ou antes disso, tavez) nos aproximamos do jeito que nossas agendas permitem, mas sempre com sinceridade e amizade, regada a café, coca diet e muita risada. Graças a ela também conheci a Faby, que é linda, competente, amável e é sócia da Mara no Esmalte no Pé, né looxo?

Mas voltando ao encontrinho, lá teve tudo que uma festa deglícia tem que ter: coisas gostosas pra comer, gente bonita, bom papo e presentinhos!!!

Os doces maravilhosos foram feitos por uma amiga da Mara, a Adriana, e estavam um verdadeiro convite ao prazer (ui que erótico, isso ficou tipo slogan de motel). Eu sou do tempo que doce bonito era doce ruim, então quando eu experimentei os doces, já tratei de anotar o telefone para quando eu for fazer uma festa baphônica do Mulheres comprar tudo dela.

Mara, Faby e Eu, puro sorriso e cupcake no coração!

Mara, Faby e o filhote da Mara, que – pasmem – também escreve no blog!

O encontrinho foi numa loja bacanéééérrima em Moema, a loja dAs Turcas, chamada Garimpo da Moda. A Mara já falou delas aqui. Agora me imaginem numa loja com minha própria consultora de estilo? Me senti praticamente no Esquadrão da Moda, só que sem ninguém pra me detonar ! Amei.

As Turcas também têm blog de moda, estilo, beleza, turquices, enfim, vê lá.

Olhem eu e a Mara com as Turcas, que são daquele modelo de mulher alta e magra que a gente quer matar, sabem? Elas são uns amores, tiveram uma paciência de Jó com aquele monte de mulher falando e zanzando pela loja (e comigo experimentando duzentas peças por milímetro cúbico, brigadão).

Foi uma tarde super gostosa, uma conversa entre amigas, a gente morreu de rir e  rolaram altos presentinhos, entre eles milhares de esmaltes, lencinho removedor de esmalte, e um chinelo com a nossa caractarura!!

Eu conheci lá uma menina-veneno, a Vanessa, que corta o próprio cabelo, faz a própria unha, faz depilação, corta a franja da filhinha dela e ainda é jornalista! Pedi pra ela ensinar tudo pra gente e ela topou, ó que bom. Não que a gente não goste de ir ao salão de beleza ver Caras e Contigo!, mas um pouco de liberdade de escolha não faz mal a ninguém.

Só sei que foi assim…

P.S. A fotos estão meio pálidas porque foram tiradas com meu humilde celular.

Churrascaria, em homenagem à Mariah

Gentes, inspirada na Mariah Carey, que mal chegou no Brasil e já rumou para uma churrascaria, resolvi contar como sou eu numa churrascaria. Claro que isso é tão ou mais irrelevante que a própria Mariah Carey, mesmo assim …

Pensando sobre churrascarias, acho que é um ambiente realmente irritante, já que a gente mal consegue dar uma mastigada completa e já tem um garçom, munido de um espeto pingando óleo, querendo saber se vai mais um pedaço de alcatra.

Em tempo, não sei a diferença entre alcatra, fraldinha, maminha. Só sei o que é picanha, e olhe lá.

Mas voltando ao tema,  eu gosto de comer pouco, portanto o jeito de se comer em churracarias é bom pra pra mim, porque tem salada, carpaccio, e coisas que  só os bobos vão la pra comer. Então, com a barriga cheia de mato,  eu como um tico de cada carne e já está bom.

Aí, quando algum garçom chato me pergunta o que eu quero comer, eu digo que quero risoto.

Mariah, me convida? Somos magras, né amiga?

Só um tapinha

Sabem, eu nunca apanhei. E não venham com piadinhas do tipo: “por isso que você ficou assim”. Não que eu não tenha merecido uns safanões, mas lá em casa as coisas eram resolvidas de outro jeito, ou conversando ou esperando a poeira baixar.

Devo esclarecer que sou contra o lance de deixar a poeira baixar, não acho que esconder sujeira embaixo do tapete seja uma boa saída, e também não acho que esperar que os problemas se diluam seja a solução.

Na verdade, nem sei se meus pais não me batiam por convicção ou por um pouco de culpa, já que minha mãe sempre trabalhou e eu era filha única (sinônimo de solidão e recalque,  tadinha #ironia).

Lendo o post da Lu Brasil sobre bater em criança e após umas discussões no twitter, resolvi tocar nesse assunto tão polêmico e ao mesmo tempo tão particular, já que cada um cria seu filho da maneira que acha certa e sempre buscando dar o seu melhor, com certeza.

Eu devo ter batido no João umas 2 vezes na vida, e sempre foi meio que no “susto”. Por exemplo, ele ficava sentado no banco de trás chutando o banco do passageiro, e eu mandando parar. Na terceira (ou décima) vez que eu mandava parar, em vez de conversar, eu virava pra trás e dava uns tapas. E o pior é que esses tapas “susto” pegam onde Deus quiser…

Acontece que quando eu bati no João não me senti ensinando, ou mesmo repreendendo. Me senti descontando nele minha frustração, minha raiva, minha falta de controle. Sou muito mais eficiente castigando, colocando ele pra pensar ou negando algo que ele queira, tipo um brinquedo novo, do que batendo. O pós tapa me deixa realmente com vergonha de mim, e eu tenho certeza que nem disfarçar eu consigo.

Ou seja, se eu bato no meu filho eu fico com vergonha de mim e dele. Como isso poderia funcionar?